Jornal do Commercio
Índices europeus

Bolsas da Europa fecham em alta, mas acumulam queda semanal com EUA

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,60%, aos 391,51 pontos. Na semana, no entanto, houve queda acumulada de 1,04%.

Publicado em 19/05/2017, às 16h18

A sucessão de denúncias contra Trump fez os mercados internacionais viverem um momento de aversão ao risco essa semana / FOTO: AFP
A sucessão de denúncias contra Trump fez os mercados internacionais viverem um momento de aversão ao risco essa semana
FOTO: AFP
Estadão Conteúdo

Os principais índices europeus encerraram em alta nesta sexta-feira (19) recuperando-se do tombo das sessões anteriores em meio a uma percepção de menor tensão política em Washington. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,60%, aos 391,51 pontos. Na semana, no entanto, houve queda acumulada de 1,04%.

A sucessão de denúncias contra o presidente dos EUA, Donald Trump, fez os mercados internacionais viverem um momento de aversão ao risco essa semana, especialmente na quarta-feira. Desde a quinta, no entanto, essa percepção vem refluindo em meio ao noticiário mais calmo em Washington. A mudança ajudou alguns ativos a se recuperarem.

"A incerteza sobre a política norte-americana está certamente em seu maior nível desde novembro, mas isso não deve escurecer o cenário positivo para os mercados de renda variável, em especial na zona do euro", afirmaram economistas do Peel Hunt, em nota.



Em Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 0,46%, aos 7 470,71 pontos, beneficiado por papéis como o da Wisecard, que subiram 3,95% após dois bancos elevarem sua recomendação de compra. Em Paris, o CAC-40 subiu 0,66%, aos 5.324,40 pontos, influenciado pela alta das commodities. Na semana, ambos os índices acumulam, respectivamente, alta de 0,48% e queda de 1,50%.

Em Frankfurt, o DAX subiu aos 12.638,69 pontos (+0,39%), interrompendo duas sessões de quedas. A RWE liderou os ganhos com alta de 5,40% em meio a relatos de que a companhia pode vender sua fatia da francesa Innogy. Em Milão, o FTSE-Mib subiu 1,26%, aos 21.567,52 pontos. Ambas as bolsas registram queda de 1,03% w 0,04%, respectivamente.

O índice Ibex-35 da bolsa de Madri encerrou em alta de 1,41%, aos 10.835,40 pontos. Já o PSI-20 de Lisboa avançou 2,03%, aos 5 176,74 pontos, na máxima. Na semana, houve queda acumulada de 0,57% e 1,15%, respectivamente.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM