Jornal do Commercio
UBER

Uber registra prejuízo de US$ 708 milhões no primeiro trimestre

Faturamento da Uber cresceu para US$ 3,4 bilhões no período

Publicado em 01/06/2017, às 02h50

Companhia americana estuda fazer uma oferta inicial de ações para entrar na Bolsa de Valores / Foto: Reprodução
Companhia americana estuda fazer uma oferta inicial de ações para entrar na Bolsa de Valores
Foto: Reprodução
Estadão Conteúdo

A Uber registrou novo prejuízo expressivo, apesar do aumento no faturamento no primeiro trimestre do ano. A empresa que explora o serviço de transportes por aplicativo teve perda de US$ 708 milhões no período, ante US$ 991 milhões nos três primeiros meses do ano passado.

O faturamento da Uber cresceu para US$ 3,4 bilhões no período, um avanço de 18% em relação ao último trimestre de 2016.



Mercado de ações

A companhia com sede em San Francisco, nos Estados Unidos, não é listada em bolsa, mas estuda fazer uma oferta inicial de ações. Em nota, a Uber afirmou que "a redução de nossas perdas no primeiro trimestre nos coloca numa boa trajetória rumo à lucratividade".

A empresa também informou que está em busca de um novo responsável pela área financeira, já que o atual diretor do departamento, Gautam Gupta, resolveu sair após quatro anos.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM