Jornal do Commercio
MORADIA

Empresa lança casas de cachorro avaliadas em até R$ 720 mil

Habitações contam com regulação de temperatura, televisões e videoconferência com os proprietários

Publicado em 15/06/2017, às 14h49

Cada habitação conta com um quarto e sala de estar / Foto: Reprodução/Facebook DougHouse
Cada habitação conta com um quarto e sala de estar
Foto: Reprodução/Facebook DougHouse
editoria de Economia

 A empresa britânica Hecate Verona quer modernizar a vida dos cachorros. A companhia lançou casas luxuosas para os bichinhos, com direito até a regulação de temperatura, televisões e videoconferência com os proprietários. A ideia da Hecate é proporcionar o máximo de conforto para os pets, pelo menos para aqueles com donos mais abastados.

#dog #luxurylifestyle #house #exclusive #exclusivedesign #mansion #doghouse #unique #amansbestfriend #toparchitecture

Uma publicação compartilhada por Hecate Verona (@hecateverona) em

Preço

As estruturas são construídas com madeira de alta qualidade, alumínio e mármore, chegando a custar cerca de  170 mil libras (equivalente a cerca de 720 mil reais). Cada habitação conta com um quarto e sala de estar com ampla visão externa e é projetada de acordo com o porte do animal. De acordo com a empresa, a moradia leva em torno de quatro meses para ficar pronta.



“Comecei a trabalhar nas casas de cachorro depois de me perguntar o porquê de eles não terem uma morada tão elegante e linda quanto as de seus proprietários”, afirma a diretora criativa do projeto, Alice Williams.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM