Jornal do Commercio
emprego

OIT diz que situação da geração nem-nem é preocupante

Até o final do ano, estimativa é que, em cada 100 jovens, 12,6 não terão emprego

Publicado em 11/08/2013, às 05h00

Raissa Ebrahim

Até o fim do ano, a previsão da Organização Internacional do Trabalho (OIT) é que 73,4 milhões de jovens estejam desempregados. Em cada 100 jovens, 12,6 não terão emprego. O nível é semelhante ao alcançado no pior momento da crise econômica, em 2009. A taxa é mais alta no Oriente Médio e Norte da África (23,7%). Na América Latina e Caribe, o percentual que não estuda nem trabalha é de 19,8%.

“É um fenômeno preocupante, causado pelo desalento diante da falta de oportunidades, que tem um potencial desestabilizador para nossas sociedades”, declarou a diretora regional da OIT para a América Latina e Caribe, Elizabeth Tinoco. A organização aponta que é preciso uma combinação de políticas ativas do mercado de trabalho, melhorias na educação e formação laboral, além de programas especiais de apoio o início da vida laboral, transição entre escola e trabalho e iniciativas de empreendimento juvenil.

O pacote está nos desejos de Emerson Tiago, 23 anos, cozinheiro, também de Nova Descoberta, há quatro meses sem trabalho. “Dilma precisa enxergar isso e pensar além da Copa”, pede. Diego e Diogo Cosmo já estão fora das estatísticas apontadas pelo IBGE. Completaram 26 anos este ano. Mas foi por alta de incentivo e orientação de que os dois estão desempregados, dependem da aposentadoria do pai e de bicos que a mãe faz, apesar de terem ensino médio completo e curso de informática. Recentemente Diego descobriu que a ex-namorada está grávida dele.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM