Jornal do Commercio
Agricultura

CMN amplia prazo para renegociação de crédito rural

Oportunidade vale para parcelas vencidas até o fim de dezembro de 2012

Publicado em 17/12/2015, às 19h59

Prazo foi reaberto a pedido do Ministério do Desenvolvimento Agrário / Foto: Agência Brasil

Prazo foi reaberto a pedido do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Foto: Agência Brasil

Da ABr

O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu nesta quinta-feira (17) dar novo prazo para renegociação de parcelas de crédito fundiário. De 31 de janeiro deste ano, a data final de negociação passou a ser 31 de dezembro de 2016. A oportunidade vale para parcelas vencidas até o fim de dezembro de 2012. O prazo foi reaberto a pedido do Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Segundo informações do Ministério da Fazenda, a autorização abrange operações envolvendo o Fundo de Terras e da Reforma Agrária, o Acordo de Empréstimo 4.147-BR e uma renegociação de dívidas de crédito rural aprovada em janeiro de 2013.

O colegiado estabeleceu também novo prazo de entrega da documentação necessária à formalização da renegociação, até 30 de junho de 2016. De acordo com a Fazenda, o prazo vale “excepcionalmente, para mutuários que realizaram pagamento da amortização mínima obrigatória no prazo previamente estabelecido”.

Ainda na reunião desta quinta-feira, o CMN autorizou a reabertura do prazo de contratação de financiamento de capital de giro para indústrias de torrefação no âmbito do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé).

O prazo, que tinha sido encerrado em 30 de novembro deste ano, agora ficará aberto até 29 de fevereiro de 2016. O Funcafé é uma linha de financiamento do governo, disponível em vários bancos, destinada a cafeicultores, cooperativas e agroindústria cafeeira.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM