Jornal do Commercio
Operação

Carne fraca: Europa suspende importação de empresas investigadas

Decisão ocorreu logo após reunião do presidente Temer com embaixadores

Publicado em 20/03/2017, às 10h13

Empresas brasileiras investigadas estão proibidas de exportar carne para a Europa / Foto: Pixabay/reprodução
Empresas brasileiras investigadas estão proibidas de exportar carne para a Europa
Foto: Pixabay/reprodução
JC Online

*Atualizada às 12h06 com novosa países que decidiram suspender importações

As 30 empresas investigadas na Operação Carne Fraca por suspeita de participação em esquemas de corrupção para liberar a venda de carne estragada não poderão mais exportar seus produtos para a Europa. Decisão foi tomada nesta segunda-feira (20) pela União Europeia. Mais cedo, a Coreia do Sul já havia decidido proibir temporariamente a venda de frango da BRF - detentora de marcas como Perdigão e Sadia. O Chile e a China também tomaram a mesma decisão para proteger seus consumidores. 

A suspensão aconteceu logo após o presidente Michel Temer ter se reunido com embaixadores dos 33 países que mais exportam carne brasileira no badalado restaurante brasiliense Steak Bull, que serve apenas carne importada. Na ocasião, o presidente apresentou números para mostrar que os casos investigados pela Polícia Federal são pontuais e não comprometem o sistema brasileiro de fiscalização e controle de qualidade. 

De acordo com reclaração realizada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e abastecimento, Blairo Maggi, a Polícia Federal comete erros técnicos no processo de investigação, pois considera que alguns frigoríficos adotaram práticas proibidas e que são, na verdade, permitidas pela regulamentação do setor.

Carne Fraca

A operação Carne Fraca foi deflagrada na sexta-feira (18)  e revelou que cerca de 30 empresas do setor, incluindo a BRF e a JBS, adulteravam a carne que vendiam nos mercados nacional e internacional. 

De acordo com a PF, auditores fiscais do ministério da Agricultura recebiam propina, em dinheiro, lotes de carne ou presentes, para fazer vista grossa nas fiscalizações e liberar a venda de carne irregular. 


Recomendados para você


Comentários

Por Marie,20/03/2017

Vergonhoso isso!!!!Agora, se já estávamos numa situação difícil, imagine agora com essas suspensões. Absurdo!!!!Que País é esse!!!

Por Encaralhado,20/03/2017

Os casos pontuais foram cometidos apenas pelos maiores exportadores. Vsf presidente golpista, nessa sua narrativa pobre não tem argumente que se sustente... e tem povo burro que ainda acredita na pala desse desgoverno. Parabéns coxinhas, por que veja que vantagem, né, se você contribuir por 25 anos na previdência social, já está com mais de 70% do valor integral da aposentadoria, se chegar ao 49 anos de contribuição, consegue os 100%... Que venha o voto em 2018, e que haja respeito à escolha nos anos seguintes...



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM