Jornal do Commercio
carne

Falta fiscalização e transparência, diz delator da Carne Fraca

''O Brasil não pode perder mercado por causa de situações como essa'', disse o fiscal agropecuário Daniel Gouvêa

Publicado em 20/03/2017, às 08h22

O fiscal disse que o primeiro frigorífico em que constatou irregularidades foi o Peccin / Foto: ABr
O fiscal disse que o primeiro frigorífico em que constatou irregularidades foi o Peccin
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

O fiscal agropecuário federal Daniel Gouvêa Teixeira, que denunciou irregularidades na Superintendência Federal de Agricultura do Paraná, órgão do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, afirmou que falta "transparência" e "fiscalização" na cadeia de produção de carne brasileira. O agente público delator da Operação Carne Fraca concedeu entrevista ao programa Fantástico, da Rede Globo, exibido na noite desse domingo (19).

"Dá para continuar consumindo carne. A nossa cadeia produtiva é uma das mais organizadas do planeta. O que falta é fiscalização e transparência. O Brasil não pode perder mercado por causa de situações como essa", defende. Teixeira afirmou ter inicialmente descoberto irregularidades no frigorífico Peccin, no Paraná. "O aproveitamento de carnes estragadas, fora de validade, em estado de putrefação", relatou.

Ele ainda lembrou ter encontrado carne mecanicamente separada acima do permitido para consumo. "A carne mecanicamente separada é um subproduto do abate de aves. Sobra um pouco de carne que chamamos de carcaça, que é o peitoral do frango. Eles usavam em torno de 94% da composição do produto. A regra é de, no máximo, 60%, ou 40%. Assim, eles barateavam demais o produto, o que é competição desleal no mercado, além de ser fraude."

Após comunicar as irregularidades ao Ministério da Agricultura, afirmou ter sido afastado da fiscalização do frigorífico Peccin. "Eu recebi a notificação de que foi cancelada a minha atribuição de fiscalização daquele frigorífico", disse.

Após deixar de vistoriar o Peccin, ele fiscalizou o frigorífico Souza Ramos, segundo a reportagem da TV Globo, onde encontrou novas irregularidades no fornecimento de merenda para uma escola pública.

Operação Carne Fraca

A Operação Carne Fraca busca combater corrupção de agentes públicos federais e crimes contra Saúde Pública. Executivos do frigorífico JBS, da BRF Brasil e outros foram alvos da operação - maior operação já deflagrada pela PF, com mais de 1 mil homens envolvidos. A Justiça mandou bloquear até R$ 1 bilhão dos investigados.

Recomendados para você


Comentários

Por LYRA,20/03/2017

Realmente o denunciante tem toda a razão quando diz que "A NOSSA REDE PRODUTIVA DE CARNES É UMA DAS MAIS ORGANIZADAS DO PLANETA", cloro que sim, se ela é formada por empresários corruptos e bandidos, entenda-se políticos da mais alta periculosidade, ou seja, uma verdadeira quadrilha, realmente é bastante organizada.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM