Jornal do Commercio
Carne Fraca

Governo suspende licença para exportar de 21 frigoríficos sob suspeita

Apesar da suspensa de exportação, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que os frigoríficos continuam autorizados a vender ao mercado doméstico

Publicado em 20/03/2017, às 20h03

Blairo Maggi voltou a demonstrar confiança na carne brasileira e lembra que o sistema de fiscalização do Brasil não foi quebrado / Marcelo Camargo/Agência Brasil
Blairo Maggi voltou a demonstrar confiança na carne brasileira e lembra que o sistema de fiscalização do Brasil não foi quebrado
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse nesta segunda-feira (20) que os frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca não poderão exportar, mas continuam autorizados a vender ao mercado doméstico sob um regime especial de fiscalização. Mesmo com os problemas mencionados pela investigação, o ministro reafirma a confiança na carne brasileira e lembra que o sistema de fiscalização do Brasil não foi quebrado e o problema foram algumas pessoas. 

Ao lembrar que a investigação levou dois anos e casos reportados no caso se referem muito provavelmente a produtos que não estão mais no mercado, Maggi explicou que os frigoríficos investigados estão passando por um processo especial de investigação e poderão continuar vendendo ao mercado doméstico, o que deve prevalecer por pelo menos três semanas. "O consumidor pode consumir com tranquilidade o produto brasileiro", disse em entrevista na portaria do Ministério. 

Para ministro, não há preocupação para o consumidor brasileiro

Para o ministro, não há nenhuma preocupação para o consumidor brasileiro, que continua sendo protegido pelo Sistema de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura. "O SIF não está sob suspeita. O que está sob suspeita são as pessoas", disse o ministro. "Espero deixar o assunto circunscrito aos 21 frigoríficos citados na investigação."

Quando há problema, frigoríficos podem fazer um recall da carne - com a retirada do produto do mercado. Essa solução foi adotada pela BRF, que está retirando lotes com o selo de inspeção "SIF 1010". Maggi disse ainda que o ministério está colhendo amostras de carne nos supermercados e, caso encontre problemas, vai recomendar a retirada das mercadorias. 

Maggi fez questão de frisar que toda a preocupação do Ministério da Agricultura diz respeito à sanidade dos produtos brasileiros. "A corrupção é uma questão da Polícia Federal", disse Maggi. "Não vamos nos contrapor à ação da Polícia Federal", disse.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM