Jornal do Commercio
Carne Fraca

Produtores brasileiros: 'Denegrir' a carne local favorece a concorrência

Mais de 30 pessoas foram detidas até o momento, três frigoríficos foram fechados temporariamente e 21 se encontram sob investigação

Publicado em 20/03/2017, às 14h56

Segundo a PF, o esquema seria liderado por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio / Foto: JC Imagem
Segundo a PF, o esquema seria liderado por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio
Foto: JC Imagem
AFP

As principais associações pecuárias brasileiras, atingidas pelo escândalo de carne estragada, advertiram nesta segunda-feira que "denegrir" a qualidade de seus produtos é uma atitude "irresponsável" e que só favorecerá aos "mercados da concorrência".

Em um anúncio publicado nos maiores jornais do país, a Associação Brasileira de Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) retomam a linha argumentativa do governo, atribuindo o escândalo a "eventuais desvios de conduta" que "representam uma fração mínima da produção nacional e devem ser repudiados e combatidos".

O anúncio alerta sobre as consequências que que uma generalização das suspeitas pode trazer para o país, principal exportador mundial de carne bovina e agrícola.

"Denegrir a qualidade da proteína do principal exportador global só interessa aos produtores de mercados concorrentes", afirmam.

"Eventuais restrições à importação de carne brasileira, além de representarem um retrocesso de muitos anos, impactarão na economia e resultarão em um perda de empregos e renda. O setor de proteínas emprega mais de 7 milhões de pessoas e representa 15% das exportações brasileiras", adverte.

"É irresponsável colocar dúvidas sobre a qualidade da carne brasileira. A tentativa de assustar consumidores e comprodores intenarcionais pode servir à busca por promoção  pessoal, mas não se sustenta com fatos e prejudica a vida de milhões de vrasileiros que trabalham no setor de proteínas", acrescenta a nota. 

Investigações

A Polícia Federal (PF) revelou na sexta-feira um esquema em que fiscais sanitários supostamente recebiam subornos dos frigoríficos para autorizar a venda de alimentos não aptos para o consumo.

Mais de 30 pessoas foram detidas até o momento, três frigoríficos foram fechados temporariamente e 21 se encontram sob investigação.

A PF foi criticada pela forma como foram divulgadas as informações sobre a operação "Carne Fraca".

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, questionou no domingo "a narrativa" dos procedimentos policiais que teria levado a "conclusões equivocadas".

O presidente Michel Temer também afirmou que o modo como a notícia foi dada pode ter gerado grande preocupação nos países importadores de carne e nos consumidores brasileiros.

O escândalo deu ânimo aos produtores agropecuários europeus preocupados com o avanço das negociações de um tratado de livre-comércio entre a União Europeia (UE) e o Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai).

"A respeito das conversações comerciais com o Mercosul, enviamos uma carta à Comissão Europeia pedindo que sejam cumpridas nossas normas de segurança e que os países do Mercosul garantam o rastreio individual do gado", informa um comunicado do secretário-geral da Copa-Cogeca, Pekka Pesonen.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC recall de marcas 2017 JC recall de marcas 2017
Conheça o ranking das marcas que têm conseguido se manter no topo da preferência dos pernambucanos. O rol é resultado de uma pesquisa realizada pelo Instituto Harrop, há duas décadas parceiro do Jornal do Commercio na realização da premiação
10 anos do IJCPM 10 anos do IJCPM
O Instituto João Carlos Paes Mendonça de Compromisso Social (IJCPM) comemora 10 anos de história, contribuindo para transformar a vida de jovens de comunidades com histórico de desigualdade social nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Aracaju
Chapecoense: um ano de saudade Chapecoense: um ano de saudade
Um ano de saudade. Foi isso que restou. A maior tragédia do esporte mundial, no dia 29 de novembro de 2016, quando houve o acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, em Medellín, na Colômbia, fez 71 vítimas. Entre elas, dois pernambucanos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM