Jornal do Commercio
Impostos

Grupo Dolly é suspeito de fraude de R$ 2 bilhões

Empresa é alvo da Operação Clone, que investiga fraudes relacionadas ao pagamento de impostos

Publicado em 18/05/2017, às 12h25

A Dolly é uma das empresas mais famosas do ramo de bebidas / Foto: Reprodução/Facebook Dolly
A Dolly é uma das empresas mais famosas do ramo de bebidas
Foto: Reprodução/Facebook Dolly
Editoria de Economia

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (18), a "Operação Clone", que tem como alvo a Ragi Refrigerantes, fabricante dos produtos da marca Dolly. A empresa é acusada de inadimplência fraudulenta do ICMS, organização de fraude fiscal estruturada e embaraço de fiscalização.

"Com cerca de R$ 2 bilhões de débitos já inscritos na dívida ativa e autos de infração milionários, as empresas do grupo têm deixado de responder a inúmeros comunicados da Secretaria da Fazenda desde o ano passado e jamais receberam fiscais da pasta para esclarecimentos", diz comunicado divulgado pela Secretaria da Fazenda de São Paulo.

A nota da Secretaria informa ainda que, desde o ano passado, as empresas do grupo têm deixado de responder aos comunicados da pasta e nunca receberam fiscais para prestar esclarecimentos. O Fisco cassou as inscrições estaduais de várias empresas que participam de esquemas desse tipo e foram identificadas pela Secretaria da Fazenda.

"Mesmo impedidas de funcionar por determinação da Secretaria Estadual da Fazenda, há indícios de que elas ainda hoje continuam operando irregularmente, sem inscrição estadual, mediante estabelecimentos localizados em outras regiões para simular operações com refrigerantes e sucos", diz a Fazenda.

O Fisco também identificou créditos vultuosos de impostos relacionados a supostas compras de insumo nunca comprovadas, emitidas por companhias situadas fora de São Paulo e cujos valores foram alvo de autuações.

"Questões relacionadas à blindagem patrimonial e ocultação do quadro societário, mediante a interposição de empresas de participação e de offshores são alguns dos desafios que estão sendo enfrentados pelas equipes envolvidas nos trabalhos da operação Clone", diz a nota da Secretaria.



A operação foi deflagrada na cidade de Diadema, no ABC Paulista, onde estão as instalações da Ragi Refrigerantes, e também em Tatuí, no interior de São Paulo, e em dois escritórios na capital. A operação conta também com o apoio de procuradores e da Polícia Militar de São Paulo. 

Até a publicação desta matéria, o JC não obteve um retorno da empresa. 

 Reações

A Dolly é uma das empresas mais famosas do ramo de bebidas e a internet reagiu às notícias da deflagração da Operação Clone.

 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Mundo de Rafa O Mundo de Rafa
Rafael foi diagnosticado com síndrome de Asperger apenas aos 11 anos. Seus desenhos contam pedaços muito importantes da sua história. Exprimem momentos de alegria, de comemoração e também de desabafo, de dor
Gastos dos parlamentares pernambucanos Gastos dos parlamentares pernambucanos
Os deputados federais da bancada pernambucana gastaram, no 1º semestre deste ano, R$ 5,1 milhões em verbas de cotas parlamentares. Já os senadores gastaram R$ 692 mil. Os dados foram coletados com base no portal da transparência da Câmara e do Senado
Um metrô ainda renegado Um metrô ainda renegado
São 32 anos de operação e uma eterna luta por sobrevivência. Esse é o metrô do Recife

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM