Jornal do Commercio
CRISE NO PLANALTO

Taxas disparam e fecham nos limites de oscilação máxima

Após o pronunciamento de Temer, o dólar sobe a 7,41%, aos R$ 3,3785 no contrato para junho

Publicado em 18/05/2017, às 17h35

Diante da pressão pela saída de Temer, o mercado de juros entrou em pânico, pelo risco de paralisação das reformas e de interrupção do processo de flexibilização da política monetária / Foto: AFP
Diante da pressão pela saída de Temer, o mercado de juros entrou em pânico, pelo risco de paralisação das reformas e de interrupção do processo de flexibilização da política monetária
Foto: AFP
Estadão Conteúdo

O mercado de juros fechou com a maioria das taxas nos limites de oscilação máxima, que foram ampliados excepcionalmente nesta quinta-feira (18) nos quais permaneceram durante boa parte do dia, em função da crise institucional que assolou o País. Durante a tarde, algumas taxas até chegaram a, brevemente, sair das máximas, em linha com a redução de pressão vista na Bolsa e no dólar, por sua vez, atribuída à expectativa de renúncia do presidente Michel Temer. Em pronunciamento, porém, Temer afirmou: "não renunciarei".

Ao final da sessão regular, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para julho de 2017 (679.455 contratos) fechou em 10,760%, de 10,361% no ajuste de quarta-feira (17). O DI janeiro de 2018 (296.905 contratos) encerrou na máxima de 10,075%, de 8,975% no ajuste dessa quarta. A taxa do DI janeiro de 2019 (330.030 contratos), também no limite de alta, terminou em 10,41%, de 8,81%. Nos longos, a taxa do DI janeiro de 2021 (147 665 contratos) fechou na máxima de 11,39%, de 9,59%.

O estopim da crise foi a informação, divulgada ontem à noite, de que donos da JBS, Joesley Batista e seu irmão Wesley Batista, gravaram uma conversa em que Temer supostamente dá aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na Operação Lava Jato. O senador Aécio Neves (PSDB) também foi gravado pedindo propina de R$ 2 milhões a Joesley Batista, segundo divulgou o jornal O Globo, que teve acesso à delação premiada dos sócios da JBS.



O Supremo Tribunal Federal (STF) afastou o senador Aécio Neves (PSDB) de seu cargo e o ministro Edson Fachin autorizou abertura de inquérito para investigar Temer.

Com isso, diante da pressão pela saída de Temer e o possível fim do atual governo, o mercado de juros entrou em pânico, pelo risco de paralisação das reformas e de interrupção do processo de flexibilização da política monetária, num momento em que os agentes vinham apostando fortemente na aceleração do ritmo de corte da Selic.

Já com a sessão regular encerrada, Temer fez um pronunciamento no qual diz que tentou mas não conseguiu acesso às gravações em que é citado. Disse não ter "comprado o silêncio de ninguém", que não tem nada a esconder e que não renunciará. Após o pronunciamento, o dólar futuro ficou em leilão entre 16h11 e 16h24 e, quando retomou as negociações, subia 7,41%, aos R$ 3,3785 no contrato para junho.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM