Jornal do Commercio
ENERGIA

BNDES aprova empréstimos de R$ 1 bi para 3 complexos de energia eólica

O emprésttimo será usado para a construção dos parques eólicos Ventos da Bahia I, III, IX e XVIII, no município de Mulungu do Morro (BA)

Publicado em 19/06/2017, às 18h03

O empreendimento também inclui o sistema de transmissão associado e terá potência instalada de 98,7 MW, todos destinados ao consumo da Vale, segundo o BNDES / Foto: Pixabay
O empreendimento também inclui o sistema de transmissão associado e terá potência instalada de 98,7 MW, todos destinados ao consumo da Vale, segundo o BNDES
Foto: Pixabay
JC Online

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou, nesta segunda-feira (19), a aprovação de empréstimos que somam no total R$ 1,037 bilhão para três complexos de geração de energia eólica, dos grupos EDF, Enel e Aliança, sociedade da mineradora Vale com a Cemig.

A EDF EN do Brasil contratará empréstimo de R$ 486,4 milhões para a construção dos parques eólicos Ventos da Bahia I, III, IX e XVIII, no município de Mulungu do Morro (BA). O projeto inclui o respectivo sistema de transmissão. Com 53 aerogeradores, o empreendimento terá potência instalada de 116,6 MW, comercializada no Leilão de Energia de Reserva de novembro de 2015, informou o BNDES.



Já a Enel Green Power Brasil terá de R$ 307,8 milhões para implantação dos parques eólicos Delfina III, IV, VI e VII no município de Campo Formoso (BA), e também do sistema de transmissão. O empreendimento, com 48 aerogeradores, terá potência instalada total de 96 MW, cuja energia, segundo o BNDES, será comercializada no mercado livre.

FINANCIAMENTO

Por fim, a Aliança terá um financiamento de R$ 243,5 milhões para a construção dos parques eólicos Santo Inácio III e IV, Garrote e São Raimundo, em Icapuí (CE). O empreendimento também inclui o sistema de transmissão associado e terá potência instalada de 98,7 MW, todos destinados ao consumo da Vale, segundo o BNDES.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM