Jornal do Commercio
ANP

Etanol cai em 20 Estados e no Distrito Federal e sobe em cinco

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros caíram em 20 Estados brasileiros e no Distrito Federal na semana passada e subiram em outros cinco.

Publicado em 10/07/2017, às 14h11

Na semana, o maior recuo das cotações foi registrado no Ceará (3,51%), enquanto a maior alta ocorreu em Alagoas (3,25%) / Foto: Acervo/JC Imagem
Na semana, o maior recuo das cotações foi registrado no Ceará (3,51%), enquanto a maior alta ocorreu em Alagoas (3,25%)
Foto: Acervo/JC Imagem
Estadão Conteúdo

Os preços do etanol hidratado nos postos brasileiros caíram em 20 Estados brasileiros e no Distrito Federal na semana passada e subiram em outros cinco, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A ANP não divulgou os preços nos postos do Amapá.

Em São Paulo, principal Estado produtor e consumidor, a cotação do hidratado caiu 1,25% na semana, para R$ 2,205 e, no período de um mês, acumula queda de 4,83%. Na semana, o maior recuo das cotações foi registrado no Ceará (3,51%), enquanto a maior alta ocorreu em Alagoas (3,25%). A maior queda mensal, de 8,21%, foi em Mato Grosso, ajudada pela baixa de 3,20% na semana naquele Estado.

A maior alta mensal também foi em Alagoas (0,94%). Aquele Estado e Roraima foram os únicos do País a terem aumento no etanol hidratado se comparado a igual período de junho. Na média brasileira, o etanol teve recuo de 1,14% na semana e acumula queda de 4,46% no período de um mês.

No Brasil, o preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 1,699 o litro, em São Paulo, e o máximo foi de R$ 4,15 o litro, no Rio Grande do Sul. Na média, o menor preço foi de R$ 2,148 o litro, em Mato Grosso, e o maior preço médio foi verificado em Roraima, de R$ 3,70 o litro.



Competitividade

Apesar da queda generalizada na última semana e no período de um mês, os preços médios do etanol hidratado continuam competitivos com os da gasolina apenas em São Paulo e em Mato Grosso, segundo dados da ANP compilados pelo AE-Taxas.

O levantamento considera que o combustível de cana, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso. O preço da gasolina também recuou este mês e ainda tem influência da queda do etanol anidro, que é misturado no combustível de petróleo.

Em Mato Grosso, onde o etanol está mais competitivo, o combustível é vendido em média por 60,97% do preço da gasolina. Em São Paulo a paridade está em 67,18%. Em dois Estados - Goiás, com paridade em 70,32% e Minas Gerais, em 70,43% - praticamente não há vantagem econômica para o uso de um combustível em relação ao outro.

A gasolina continua mais vantajosa principalmente em Roraima. Naquele Estado, onde não há fabricação de álcool e ainda há uma dificuldade logística para o recebimento do combustível das regiões produtoras, o preço médio do etanol é de R$ 3,70 o litro, mais caro que os R$ 3,512, o litro cobrados pela gasolina nos postos avaliados pela ANP.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.
Envelhecer bem Envelhecer bem
Com eles não tem isso de ficar em casa ou passar boa parte do dia lendo ou na frente da televisão. Não suportam dias monótonos. Eles são muito ativos e encaram qualquer desafio, até porque querem aproveitar a vida da melhor forma possível.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM