Jornal do Commercio
BNDES

BNDES diz manter mesma postura sobre JBS após prisão de Wesley

O banco quer afastar a família Batista do comando da empresa

Publicado em 13/09/2017, às 14h01

O BNDES detém 21,3% das ações da JBS / Foto: Agência Brasil/Arquivo
O BNDES detém 21,3% das ações da JBS
Foto: Agência Brasil/Arquivo
Estadão Conteúdo

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que mantém, por enquanto, a mesma postura em relação à JBS com a prisão preventiva do presidente da empresa, Wesley Batista.

O banco, que detém 21,3% das ações da companhia, quer afastar a família Batista do comando da empresa. Este conflito será discutido em uma câmara de arbitragem da Bolsa, depois que a instituição de fomento entrou na Justiça para impedir os controladores de votarem em assembleia geral de acionistas que decidiria sobre o afastamento de Wesley.



Com o impedimento, os donos da JBS conseguiram na Justiça adiar a reunião - que estava agendada para o dia 1º deste mês - por 15 dias, levando a disputa para a arbitragem.

No dia da suspensão da reunião, o BNDES disse que a "expectativa é que os próprios controladores reconheçam o conflito de interesses. A BNDESPar somente buscou o Poder Judiciário porque o controlador ainda não reconheceu o seu conflito", em nota creditada ao diretor jurídico do BNDES, Marcelo de Siqueira Freitas.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM