Jornal do Commercio
ANAC

Demanda por transporte aéreo doméstico cresce 3,6% em julho, diz Anac

Esta foi a quinta alta consecutiva do indicador

Publicado em 13/09/2017, às 13h47

A Gol e a Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico em julho / Foto: Alexandre Gondin/JC Imagem
A Gol e a Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico em julho
Foto: Alexandre Gondin/JC Imagem
Estadão Conteúdo

A demanda por transporte aéreo doméstico de passageiros registrou aumento de 3,6% em julho deste ano quando comparada com o mesmo mês de 2016, informou nesta quarta-feira (13), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Esta foi a quinta alta consecutiva do indicador. No acumulado dos sete primeiros meses, a demanda teve crescimento de 1,1% em comparação com o mesmo período do ano passado.

A oferta registrou expansão de 4,4% no mês, após registrar queda em junho. Nos primeiros sete meses do ano, a oferta acumulou crescimento de 0,2%. Em julho de 2017, foram transportados 8,3 milhões de passageiros pagos em voos domésticos, o que representou aumento de 3,0% em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Em julho deste ano, a taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves no mercado doméstico foi de 83,9%, que representou baixa de 0,7 ponto porcentual em relação ao mesmo período do ano passado.

A Gol e a Latam permaneceram na liderança no mercado doméstico em julho, com participações de mercado, medida pelo indicador de demanda RPK (número de passageiros por quilômetro voado), da ordem de 37,4% e 32,1%, respectivamente, enquanto a soma das demais empresas alcançou 30,5% da demanda.

Carga

O transporte de carga paga e correio no mercado doméstico, no mês de julho, foi da ordem de 36 mil toneladas, o que representou alta de 0,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior

Internacional

As companhias aéreas brasileiras registraram, em julho deste ano, um avanço de 19% na demanda por transporte internacional de passageiros em relação ao mesmo mês de 2016, informou a Anac. Já a oferta internacional aumentou 18,2% na mesma base de comparação. Durante o mês de julho, foram transportados 813 mil passageiros pagos em voos internacionais.



Os três indicadores alcançaram o seu maior nível para um único mês na série histórica iniciada em 2000. No acumulado de janeiro a julho de 2017, a demanda internacional das empresas brasileiras cresceu 12,8% e a oferta aumentou 8,9% em comparação com igual período de 2016.

Com a demanda crescendo num ritmo mais elevado do que a oferta em julho, a taxa de aproveitamento das aeronaves em voos internacionais de passageiros operados por empresas brasileiras aumentou, chegando a 86,2%. O índice é 0,7 ponto porcentual maior do que o verificado mesmo mês de 2016.

O indicador está em alta há 14 meses e alcançou o seu maior nível para o mês de julho na série histórica iniciada em 2000. Nos sete primeiros meses do ano, o indicador acumulou alta de 3,6 pontos na comparação com igual período de 2016, atingindo o valor 85,3%.

Entre as empresas aéreas brasileiras que operam no mercado internacional, a Latam continuou com maior participação de mercado, de 73,5% no mês de julho, o que representou recuo de 5,5% na comparação com igual do ano anterior, apesar da alta de 12,4% em RPK (número de passageiros por quilômetro voado). A Azul apresentou um aumento de 58,5% em seu RPK internacional, passando a uma participação de mercado de 12,6%, seguida da Gol com 11,8%.

A Avianca passou a figurar como a quarta empresa aérea brasileira neste mercado. A companhia passou de uma participação quase nula, em julho do ano anterior, para 2,1% da demanda internacional de passageiros, em julho deste ano.

Cargas

No mês de julho, foram transportadas 19.797 toneladas de carga e correio, número que representou aumento de 49,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Este foi o maior nível já alcançado para o mês na série histórica iniciada em 2000. O indicador acumulou aumento de 21,4% nos sete primeiros meses do ano.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM