Jornal do Commercio
CÂMARA

Rodrigo Maia abre sessão para votar destaques da MP do Refis

Na semana passada, deputados aprovaram em votação simbólica o texto-base da MP do Refis

Publicado em 03/10/2017, às 16h31

Um dos destaques que será votado será o do PT / Foto: Agência Brasil
Um dos destaques que será votado será o do PT
Foto: Agência Brasil
ESTADAO CONTEUDO

Sem acordo para votar a reforma política, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), retomou na tarde desta terça-feira (3) a votação, no plenário da Casa, da medida provisória (MP) que cria o novo Refis. Parlamentares analisarão os destaques, com sugestões de mudanças no texto-base da proposta, aprovado na semana passada.

Um dos destaques que será votado será o do PT, para retirar trecho que permite suspeitos de corrupção parcelarem e terem descontos ao devolverem à União dinheiro desviado dos cofres públicos. O destaque tinha sido apresentado pela bancada petista na semana passada, mas foi retirado. Após a polêmica em torno do trecho, porém, o partido reapresentou a sugestão de mudança.

O destaque foi apresentado após acordo entre o relator, deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG); o líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e o PT. O entendimento entre lideranças partidárias foi necessário para reabrir o prazo de apresentação de destaques. Esse prazo se encerrou na semana passada, antes da votação do texto-base.

Na semana passada, deputados aprovaram em votação simbólica o texto-base da MP do Refis. No primeiro artigo da proposta, que prevê a criação do programa, parlamentares incluíram permissão para contribuintes parcelarem dívidas com a Procuradoria-Geral da União (PGU). Na avaliação de procuradores, isso permite, na prática, que corruptos possam usufruir dos descontos em multas e juros previstos pelo programa ao devolver recursos desviados dos cofres públicos.



O texto original enviado pelo governo previa parcelamento com desconto nos juros e multas apenas para dívidas com a Receita Federal e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN). Na discussão da MP em uma comissão mista do Congresso Nacional, o relator incluiu a PGU. A inclusão foi aprovada tanto no colegiado quanto no plenário da Câmara.

Caso o trecho não seja retirado pela Câmara, o Senado poderá fazer isso quando estiver analisando a matéria. O problema, dizem deputados, é que, caso senadores alterem o texto aprovado pelos deputados, a MP terá de retornar para nova votação na Câmara.

A articulação, porém, pode inviabilizar a conclusão da votação da proposta nas duas casas legislativas até 11 de outubro, quando a medida provisória perde a validade.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Prêmio ISS Recife Prêmio ISS Recife
Principal item da receita própria dos municípios, o Imposto Sobre Serviços (ISS) entra no cofre das prefeituras tanto para custear despesas quanto para viabilizar investimentos nas cidades.
#ConexãoPelaVida #ConexãoPelaVida
Há quase dois séculos, o Real Hospital Português mantém a sua atenção voltada para o bem-estar dos pacientes. Conheça um pouco mais sobre a instituição médica que aos 162 não para de se modernizar
Agreste Empreendedor Agreste Empreendedor
O Agreste pernambucano é a região que mais cresce em Pernambuco. E, por incrível que pareça, a força motriz que puxou esse desenvolvimento foi o empreendedorismo.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM