Jornal do Commercio
Chesf

Chesf fatura R$ 191 milhões no terceiro trimestre de 2017

Um dos fatores para o faturamento da empresa é a atualização do ativo financeiro em relação aos novos investimentos

Publicado em 14/11/2017, às 15h17

Os custos e as despesas operacionais da Chesf tiveram redução de 70% / Foto: Bernardo Soares/ Acervo JC Imagem
Os custos e as despesas operacionais da Chesf tiveram redução de 70%
Foto: Bernardo Soares/ Acervo JC Imagem
Editoria de Economia

A Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) divulgou nesta terça-feira (14) os principais resultados financeiros do primeiro trimestre deste ano. A empresa atingiu um crescimento de 368% no terceiro trimestre de 2017, registrando um lucro de R$ 893,7 milhões, em comparação com o mesmo período de 2016. O faturamento foi de R$ 191 milhões. Já a Receita Operacional da companhia apresentou um recuo de 3% no terceiro trimestre de 2017 em comparação com o terceiro trimestre de 2016, passando de R$ 1.227 milhões para R$ 1.185 milhões.

O movimento nos contratos de leilões realizados no Ambiente de Contratação Livre (ACL),em decorrência da sazonalização da compra de energia deste ano e do reajuste anual, influenciou o suprimento na receita bruta, com alteração de 48,5%, que equivale a R$ 52.759 mil no primeiro trimestre de 2017 em comparação com R$ 35.521 mil no primeiro trimestre de 2016.

O fornecimento da energia registrou variação de 5%, com R$ 238.528 mil durante o terceiro trimestre de 2017 para R$ 227.224 mil durante o terceiro trimestre de 2016. Isso se deu em decorrência nos reajustes dos contratos prorrogados com os consumidores industriais do Nordeste.



Retorno de Investimento 

O começo de reconhecimento da atualização do ativo financeiro sobre os novos investimentos realizados nas concessões de geração renovada, segundo a Lei 12.783/2013, apenas no final de 2016, sem valor comparativo no terceiro trimestre de 2016, influenciou a variação total registrada em 2017, com alcance de R$ 12.416 mil. Em 2016 não houve nenhum faturamento nessa modalidade.

O registro de remuneração incidente sobre o ativo econômico, especialmente os decorrentes da Rede Básica de Sistemas Existentes (RBSE), referentes aos pagamento destinado às empresas de transmissão de energia elétrica pelos bens reversíveis, de aproximadamente R$ 319,3 milhões. O registro teve uma diminuição de R$ 401.649 mil no primeiro trimestre de 2016 para R$ 326.513 mil no primeiro trimestre de 2017, sendo que a redução é em consequência do início da amortização dos pagamentos, portanto, a base da incidência recua. Esses fatores contribuíram para a diminuição de 18,7% na receita bruta da companhia.

Despesas operacionais

As despesas e os custos operacionais da Chesf registraram no terceiro trimestre de 2017 diminuição de 70% em relação ao terceiro trimestre de 2016, caindo de R$ 948,6 milhões no terceiro trimestre de 2016 para R$ R$ 282,3 milhões no terceiro
trimestre de 2017.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Julgamento de Lula Julgamento de Lula
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou, no histórico 24 de janeiro de 2018, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ampliou a pena para 12 anos e 1 mês de reclusão
Copa do Nordeste 2018 Copa do Nordeste 2018
A 15ª edição da Copa do Nordeste tem um sabor especial. 2018 marca a volta das transmissões de futebol da TV Jornal. Ao lado da co-irmã de Caruaru e de nove afiliadas do SBT Nordeste, a emissora vai levar ao público todas as emoções do torneio
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM