Jornal do Commercio
Otimismo no governo

Meirelles volta a dizer que crê na aprovação da reforma da Previdência neste ano

Meirelles também afirmou que governo fará os cortes necessários para cumprimento de meta fiscal de 2018

Publicado em 14/11/2017, às 08h35

Meirelles acredita na aprovação da reforma da Previdência ainda em 2017 / Foto: ABr
Meirelles acredita na aprovação da reforma da Previdência ainda em 2017
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, repetiu nesta terça-feira, 14, que acredita na aprovação da reforma da Previdência ainda este ano e garantiu que o governo fará os cortes de gastos que forem necessários para o cumprimento da meta fiscal de 2018. O ministro também assegurou o reajuste do Bolsa Família no próximo ano.

Ao defender a aprovação da Reforma da Previdência, Meirelles mais uma vez citou países - como a Grécia - nos quais os governo precisaram cortar os valores das aposentadorias. "O nosso objetivo principal é garantir a todos os brasileiros que eles tenham segurança de que vão receber a sua aposentadoria no valor integral", afirmou o ministro, em entrevista à rádio Jovem Pan de São Paulo.

Meirelles disse ser prematuro comentar alternativas à reforma, porque, segundo ele, a expectativa de aprovação do projeto seria muito grande. "Acreditamos que esse assunto será tratado com responsabilidade e acreditamos na aprovação pelo Congresso, que é soberano", acrescentou.

Em todo caso, o ministro garantiu que a meta fiscal de déficit de R$ 159 bilhões no próximo ano será cumprida e avisou que o governo fará todos os cortes de gastos necessários para isso. "A meta fiscal do próximo ano será atingida de qualquer maneira, porque nós temos o compromisso e cortes adicionais de despesas serão efetuados, se necessário", respondeu.

Meirelles explicou que a Reforma da Previdência não tem um alívio de despesas imediato para o próximo ano, mas indica uma trajetória para os gastos nos anos seguintes. "A economia é muito formada pelas expectativas dos consumidores e dos investidores. Se todos começam a achar que governo terá dificuldades em pagar as suas contas sem a reforma, isso começa a abalar a confiança na economia", afirmou.



Por isso, acrescentou, Meirelles, a aprovação da Reforma da Previdência ainda este ano ajudaria a mostrar aos agentes econômicos que o governo terá contas sustentáveis no futuro. "Esse é o impacto maior que pode haver a partir de 2018 com a reforma", arrematou.

Bolsa Família

Apesar de já deixar claro que despesas serão cortadas em 2018, Meirelles garantiu o reajuste do Bolsa Família no próximo ano. "O aumento do Bolsa Família está previsto e é necessário por justiça social", considerou.

Questionado sobre a possibilidade de aumentos de impostos para se chegar à meta fiscal do próximo ano, o ministro citou que já existem propostas "muito específicas" no Congresso, como o projeto enviado pelo governo para a tributação de fundos exclusivos.

"Trabalhamos a Reforma Tributária e esperamos que haja acordo entre parlamentares, Estados, municípios e o Executivo. A finalidade da reforma é simplificar sistema e não aumentar imposto", ressaltou. Meirelles negou ainda que o governo planeje novas isenções do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM