Jornal do Commercio
Bens de consumo

10,5 milhões trabalham na produção de bens para próprio consumo

O número de pessoa corresponde a 6,3% de toda a população com idade permitida para trabalhar

Publicado em 07/12/2017, às 10h08

Quase metade das pessoas que produziam para o próprio consumo (48,8%) estava também empregada no mercado de trabalho / Foto: JC Imagem
Quase metade das pessoas que produziam para o próprio consumo (48,8%) estava também empregada no mercado de trabalho
Foto: JC Imagem
Estadão Conteúdo

Em 2016, o País tinha 10,5 milhões de brasileiros trabalhando na produção de bens para consumo próprio. O montante equivale a 6,3% de toda a população de 166,7 milhões de pessoas em idade de trabalhar, ou seja, com 14 anos ou mais de idade. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - Outras Formas de Trabalho, referente a 2016.

Entre os que realizaram algum tipo de trabalho na produção de bens para uso exclusivo de moradores do domicílio ou de parentes, 77,6% declararam atuar no cultivo agrícola, pesca, caça ou criação de animais. Outras formas de trabalho pesquisadas foram a produção de carvão, corte ou coleta e lenha, palha ou outro material (com 17,3% de adesão), fabricação de calçados, roupas, móveis, cerâmicas, alimentos ou outros produtos (11,6%), e construção de prédio, cômodo, poço ou outras obras de construção (7,0%).

Os homens eram maioria na produção para o próprio consumo, mas com apenas ligeira vantagem entre as mulheres, 51,9% ou 5,5 milhões de pessoas.

Os mais velhos eram mais ativos nesse tipo de produção: 46,1% tinham 50 anos ou mais, enquanto 42,7% tinham idade entre 25 a 49 anos. Apenas 11,2% desses trabalhadores tinham de 14 a 24 anos.

Quase metade das pessoas que produziam para o próprio consumo (48,8%) estava também empregada no mercado de trabalho. Entre os homens, essa proporção alcançava 61,7%, ante 35,0% das mulheres. O porcentual de pessoas ocupadas na produção para o próprio consumo foi majoritário nas Regiões Norte (59,6%), Sul (57,3%) e Centro-Oeste (52,9%).

Trabalho voluntário

O Brasil tinha 6,5 milhões de pessoas realizando trabalho voluntário em 2016, o equivalente a 3,9% da população com 14 anos de idade ou mais, segundo a pesquisa do IBGE.



A taxa de realização de trabalho voluntário foi maior entre as mulheres (4,6%) do que entre os homens (3,1%). A região do Brasil com maior proporção de voluntários era o Norte, onde 5,6% das pessoas faziam algum trabalho desse tipo.

"No Norte tem muita questão ambiental, talvez tenha mais projetos. Mas pode ser igreja também. Se eu ajudo num mutirão do meu vizinho, também é trabalho voluntário", lembrou Alessandra Brito, analista da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE

A menor incidência de trabalho voluntário foi no Nordeste, apenas 3,0% da população local, seguido pelo Sudeste, com 3,7% de voluntários entre as pessoas com 14 anos ou mais.

A maioria dos voluntários (91,5% deles) atuou através de uma empresa, organização ou instituição, sendo que 81,5% das pessoas que realizaram trabalho voluntário o faziam em congregação religiosa, sindicato, condomínio, partido político, escola, hospital ou asilo.

As pessoas ocupadas realizavam mais trabalho voluntário do que as que não trabalhavam. Enquanto 4,2% dos trabalhadores ocupados realizavam trabalho voluntário, entre os não ocupados essa proporção caía a 3,6% em 2016.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM