Jornal do Commercio
operadora

Oi tem pior avaliação do consumidor de telefonia do País, diz Anatel

No índice de satisfação geral com serviços, a Oi obteve a pior nota nas modalidades de serviço celular pós-pago, pré-pago e banda larga fixa

Publicado em 13/03/2018, às 21h25

A Oi informou que tem investido continuamente na expansão da rede e na melhoria de qualidade dos serviços / Foto: Divulgação
A Oi informou que tem investido continuamente na expansão da rede e na melhoria de qualidade dos serviços
Foto: Divulgação
Estadão Conteúdo

A operadora de telefonia Oi ficou com as piores notas dos consumidores de telefonia do País, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (13) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A pesquisa, que está em sua terceira edição, englobou as principais operadoras brasileiras de banda larga fixa, telefonia fixa, telefonia móvel e TV por assinatura. No total, foram entrevistados 140 mil consumidores em todos os Estados brasileiros.

As empresas avaliadas foram Algar Telecom, BrisaNet, Cabo Telecom, Claro, Net, Nextel, Nossa TV, Oi, Porto Seguro, Sercomtel, Sky, TIM e Vivo. Foram mais de 40 questionamentos apresentados aos usuários, que votaram em serviços com notas que variavam de pior para melhor, em índices de zero a dez. A coleta de dados ocorreu entre 26 de julho e 3 de dezembro de 2017.

Modalidades de serviço

No índice de satisfação geral com os serviços, a Oi obteve a pior nota nas modalidades de serviço celular pós-pago (6,20), pré-pago (6,66) e banda larga fixa (5,67). Na categoria de TV por assinatura, a pior avaliação de satisfação geral ficou com a Net (6,61).

Entre as grandes prestadoras de serviço celular pós-pago, o melhor índice ficou com a Vivo (7,26), mas a melhor avaliação desse tipo de serviço ficou com a operadora Porto Seguro. Nos serviços pré-pago de telefonia celular, o melhor desempenho entre as principais operadoras foi dado para a Vivo (6,88), mas a que se destacou foi a Sercomtel (7,71).



Em relação aos serviços de banda larga fixa, a TIM obteve nota (7,54), só atrás da Cabo Telecom (7,64). Quanto à TV por assinatura, a Claro obteve nota 7,24, atrás apenas da Nossa TV (8,96).

A análise da satisfação geral pelos serviços mostra que, em 2017, houve uma piora na percepção dos serviços prestados no País em relação às pesquisas feitas em 2016 e 2015. Em serviços de TV por assinatura, o índice geral neste ano ficou em 6,93, ante 7,00 verificado em 2016 e 7,14 de 2015. No mesmo intervalo, respectivamente, a percepção da telefonia fixa ficou em 6,92, ante 6,93 e 6,97 dos anos anteriores. A banda larga fixa também caiu para 6,23, ante 6,26 e 6,58.

Houve percepção geral de melhora no índice das telefonias móvel pré e pós-paga. O celular pós-pago ficou com nota de 6,99 em 2017, contra 6,86 do ano anterior e 6,72 de 2015. No mesmo período, o pré-pago ficou com 6,83, ante 6,78 e 6,62 dos anos anteriores.

Por meio de nota, a Oi informou que tem investido continuamente na expansão da rede e na melhoria de qualidade dos serviços, e com isso vem apresentando avanços operacionais. "No ano passado, a Oi reduziu em 23% o volume das reclamações no call center da Anatel, taxa que supera a registrada pelo mercado. No mesmo período, as ações junto aos Juizados Especiais Cíveis (JECs) registraram redução de 46% em relação ao ano anterior", declarou a empresa. "A companhia continuará intensificando seus esforços e investimentos com vistas à melhoria da qualidade dos serviços que presta aos clientes." 


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM