Jornal do Commercio
MINAS GERAIS

MPF pede bloqueio de R$ 10 milhões de mineradora devido a vazamento

Além do bloqueio, a mineradora Anglo American de Ferro S/A deverá conter e retirar os poluentes vazados em até 72h

Publicado em 14/03/2018, às 15h47

Outra exigência do MP é a criação de um cadastro dos atingidos pelo desabastecimento e o fornecimento de água potável até que ocorra a regularização do serviço / Foto: Reprodução/Facebook Tadeu do Resgate
Outra exigência do MP é a criação de um cadastro dos atingidos pelo desabastecimento e o fornecimento de água potável até que ocorra a regularização do serviço
Foto: Reprodução/Facebook Tadeu do Resgate
Estadão Conteúdo

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) está pedindo o bloqueio de R$ 10 milhões da Anglo American de Ferro S/A. O objetivo é garantir medidas emergenciais para a reparação dos danos ambientais e sociais causados pelo rompimento do mineroduto Minas-Rio em Santo Antônio do Grama (MG), na Zona da Mata.

A solicitação consta de ação civil pública impetrada na Justiça nesta terça-feira (13). Os promotores também pedem a adoção de medidas para cessar o vazamento de substâncias e a contaminação do meio ambiente. E que a Anglo seja obrigada, no prazo de 72 horas, a providenciar a contenção, retirada e destinação ambientalmente adequada dos poluentes.

Outra exigência do MP é a criação de um cadastro dos atingidos pelo desabastecimento e o fornecimento de água potável até que ocorra a regularização do serviço. Além disso, a mineradora ficaria responsável por custear uma auditoria ambiental independente no empreendimento com laudo em 120 dias.

A finalidade seria levantar informações sobre níveis de poluição, degradação ambiental, sistemas de controle, entre outros. A ação, que foi protocolada no município de Rio Casca (MG) e ainda será analisada pela Justiça, também pede que a Anglo também seja obrigada a reparar os danos ao meio ambiente e à coletividade.



Segundo o MP-MG, teriam vazados 450 m³ de minério durante cerca de 45 minutos, na segunda-feira (12) vindo o dejeto a atingir dois rios. Os efeitos da poluição, no entanto, ainda são calculados.

O promotor Leonardo Castro Maia, coordenador regional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente da Bacia do Rio Doce, conta que é pedida tutela de urgência contra a Anglo. "Foi lançada poluição sobre um corpo hídrico que serve de abastecimento para várias cidades", explicou.

A Anglo não comentou as solicitações da Promotoria, mas alegou em nota que tem "compromisso com o bem-estar e pronto-atendimento às comunidades próximas às suas operações e está dedicando todos os seus esforços para evitar que o fato cause impacto às populações vizinhas".

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM