Jornal do Commercio
DESACELERAÇÃO

Brasil pode crescer menos que o previsto em 2018, admite Padilha

O esperado para o crescimento da economia do Brasil era de 3%, mas de acordo com as estatísticas, deve ficar na margem dos 2,5%

Publicado em 17/05/2018, às 16h54

Eliseu Padilha se pronunciou após a divulgação dos dados econômicos que abalaram as expectativas / Foto: Evaristo Sá/AFP
Eliseu Padilha se pronunciou após a divulgação dos dados econômicos que abalaram as expectativas
Foto: Evaristo Sá/AFP
AFP

O governo brasileiro prevê um crescimento mais próximo de 2,5% para este ano, em vez dos 3% de suas projeções do começo de 2018, admitiu nesta quinta-feira (17) o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, após a publicação de dados econômicos que esfriam as expectativas.

"Se a análise fosse feita hoje, teríamos uma tendência a que estivesse mais na dimensão do 2,5%", disse Padilha em teleconferência.

As projeções do mercado para o Brasil caíram de 2,90% no começo de março para 2,51% na última pesquisa Focus realizada semanalmente pelo Banco Central (BC).

Apesar da desaceleração e da baixa inflação, o Comitê de Política Monetária do BC (Copom) optou nesta quarta-feira por manter inalterada sua taxa básica de juros, a Selic, em 6,5%. O mercado esperava um corte de 0,25 ponto. 



O BC alegou a volatilidade do cenário externo, que acarretou na desvalorização de cerca de 10% sofrida pelo real em relação ao dólar neste ano, e incertezas sobre a continuidade dos ajustes fiscais após as eleições de outubro. 

A medida foi mal recebida pelos mercados

A Bovespa operava com queda de 1,73% no começo desta tarde, e o real, depois de abrir estável, a 3,66 por dólar, voltou a cair e chegou a 3,71, seu nível mais baixo em dois anos.

"Os investidores da Bolsa estavam considerando que (a Selic) cairia a 6,25% (...), então agora estão revendo suas expectativas e revendo seu apetite ao risco", explicou à AFP o economista Mauro Rochlin, da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM