Jornal do Commercio
EXONERAÇÃO

Presidente do INSS é exonerado após notícia sobre contrato suspeito

O INSS fechou contrato de R$ 8,8 milhões com uma empresa de informática sediada em uma pequena distribuidora de bebidas em Brasília

Publicado em 17/05/2018, às 12h47

O contrato tinha a função de garantir o fornecimento de programas de computador para o órgão federal e foi assinado em abril / Foto: ABr
O contrato tinha a função de garantir o fornecimento de programas de computador para o órgão federal e foi assinado em abril
Foto: ABr
Estadão Conteúdo

O Diário Oficial da União (DOU) formaliza nesta quinta-feira (17) a exoneração de Francisco Paulo Soares Lopes da presidência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Social. Francisco Lopes foi demitido na quarta-feira (16) pelo ministro da pasta, Alberto Beltrame, depois de reportagem do jornal O Globo divulgar que o INSS fechou um contrato supostamente irregular de R$ 8,8 milhões com uma empresa de informática sediada em uma pequena distribuidora de bebidas, em Brasília.

O contrato tinha a função de garantir o fornecimento de programas de computador para o órgão federal e foi assinado em abril, mesmo após parecer de técnicos do INSS indicar que os programas de computador oferecidos pela RSX Informática não tinham utilidade para o INSS. Segundo a reportagem, depois de liberar R$ 4 milhões, sem obter nenhum serviço em troca, o presidente do INSS admitiu ter autorizado o gasto sem verificar a procedência da empresa.

Lopes era apadrinhado do líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE). Recentemente, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu a condenação de Moura por suposto esquema de desvio de verbas na prefeitura de Pirambu (SE), no âmbito de uma ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF). Em nota, o PSC disse não ter indicado Lopes à presidência do INSS e afirmou que ele não faz parte do quadro de filiados ao partido.



A RSX Informática divulgou nota para negar envolvimento com irregularidades, dizer que se colocou à disposição dos órgãos de controle e informar que, nos últimos 12 anos, prestou serviços a vários órgãos públicos.

Também em nota, o INSS afirmou que, quando Lopes assumiu o cargo, o processo de contratação da empresa "já estava adiantado" e que a RSX "já executou os serviços contratados para o Ministério de Integração Nacional, inclusive por quantitativo maior que o celebrado pela Previdência".

 


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por CIDADÃ,17/05/2018

E o rombo na Previdência é proveniente das aposentarias merrecas! Conta mais!



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM