Jornal do Commercio
COMÉRCIO

A falta que faz o embalador

Consumidores não se conformam com a prática dos supermercados de “obrigar” clientes a embalar as próprias compras

Publicado em 07/04/2011, às 16h31

Do JC Online

Fazer compras tem exigido do consumidor um esforço cada vez maior. Se antes era a ginástica financeira que tirava o sono do cliente, agora é a infraestrutura oferecida pelas redes que termina fazendo o dia de ir às compras, muitas vezes, num tormento. Atualmente, a falta de embaladores nos caixas das grandes redes e as longas filas têm exigido uma atenção ainda maior na hora de pagar e embalar os produtos.

A aposentada Dulce Violeta Azevedo, de 73 anos, aproveitou o canal oferecido pelo Jornal do Commercio, intitulado de "Voz do leitor", para sugerir a discussão do seguinte tema: a falta de profissionais responsáveis por empacotar as compras nas redes de supermercado. "Eu trabalho para o supermercado? Eu sou embaladora? Tenho 73 anos e sou obrigada a embalar minhas próprias compras quando vou ao supermercado. Isso é um absurdo", reclama. Outro problema muito constante é a existência de longas filas na hora de passar no caixa. "Veja, se o caixa começa a embalar as mercadorias, demora mais para passar as compras e a fila aumenta", lembra.

Entre as redes mais frequentadas pela aposentada estão o Extra, do grupo Pão de Açúcar, e o Carrefour. "Percebi que isso ficou pior de uns três, quatro anos para cá. É uma preocupação a mais que a gente tem que ter na hora de pagar as compras. Sem contar a minha idade”. Ela comenta que, ainda esta semana, esteve em uma loja do Carrefour e questionou ao caixa quem iria embalar as compras. Como resposta, ouviu o seguinte: "o próprio cliente". "Até desculpo o funcionário. Acho que ele vive numa pressão grande, mas eu reclamo porque as empresas lucram mais as nossas custas", destacou. Na opinião da aposentada, a suposta economia gerada pela redução dessa função nos supermercados não chegou na ponta, com a oferta de produtos mais acessíveis.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Supermercados, Carlos Santana, admite que a cultura do próprio consumidor embalar as compras tem sido imposta aqui cada vez mais algo que, segundo ele, já é comum no Sudeste. "Na realidade, a gente fica preocupado até porque o embalador é a função de porta de entrada do trabalhador no setor de spermercado. Muitos que hoje exercem funções de chefia começaram embalando alimentos para o cliente. Há uma discussão na Câmara do Recife sobre o tema, de onde poderá sair um projeto exigindo um embalador para cada caixa", diz. Ele destaca que essa questão de falta de embalador é mais forte nos caixas de pequenas compras das grandes empresas.

Nos cálculos do presidente do Sindicato dos Trabalhadores, hoje no Estado cerca de 32 mil profissionais atuam no segmento. "Antes, a gente tinha uma média de oito embaladores para cada dez check outs (caixas). Hoje, acredito que a média seja de quatro a cada dez", diz ele.

Questionadas sobre o tema, as três principais redes de supermercados enviaram nota ao JC. O Carrefour, por exemplo, informou que, "prezando pelo melhor atendimento aos seus clientes, disponibiliza embaladores de acordo com o fluxo das lojas". O Walmart uma das maiores redes em operação no Estado e detentora da bandeira Hiper Bompreço diz que também preza pela qualidade de seus produtos e serviços e que "adota elevados padrões operacionais relacionados ao funcionamento de seus caixas e demais setores das unidades. A nota dizia, ainda, que conta com empacotadores em todas as suas unidades e, que em dias e horários de maior movimento, "reforça o atendimento com outros colaboradores da própria loja".

O Extra focou sua resposta no fluxo de caixa, argumentando que “caso a fila aumente, a liderança aciona os colaboradores para operação do caixa e adoção de outras medidas que promovam maior agilidade na passagem das compras pelos caixas, como apoio no serviço de empacotares, por exemplo".




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Fascinante África do Sul Fascinante África do Sul
Reportagem especial aborda os atrativos turísticos da África do Sul e as relações econômicas do país com o Brasil
Dossiê das torcidas organizadas Dossiê das torcidas organizadas
Série de reportagens mostra a atuação das torcidas organizadas em Pernambuco a partir de 2001, ano da primeira morte em consequência dos confrontos
Fora dos trilhos Fora dos trilhos
Dez anos depois do início das obras da Transnordestina, o pouco que foi construído está abandonado. Era 'o sonho' de uma ligação férrea entre o litoral e o interior do Nordeste

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2016 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM