Jornal do Commercio
paralisação

Acaba greve dos trabalhadores da construção civil do Estado

Após fechar reajuste de 12% com o sindicato patronal, categoria volta ao trabalho nesta sexta-feira (4)

Publicado em 03/11/2011, às 23h10

Do JC Online

Depois de quatro dias de greve os trabalhadores da construção civil do Estado voltam ao trabalho a partir das 8h desta sexta-feira (4). A categoria conseguiu fechar com o sindicato patronal, o Sinduscon, um reajuste de 12% no salário dos operários e a inclusão de oito cláusulas de segurança no trabalho, entre elas a instalação de linha de vida de periferia (cabo de aço que fica amarrado ao cinto de segurança do trabalhador em locais altos), substituição da balança (elevador) trec-trec por equipamentos elétricos, melhoria dos refeitórios nos canteiros e crachá diferenciado para os funcionários cipeiros.

A reunião entre o sindicato dos trabalhadores, Marreta, e o Sinduscon demorou quase seis horas. Segundo a presidente do Marreta, Dulcilene Morais, um dos principais pontos de polêmica foi o desconto dos dias parados. A categoria, não aceitou. “Não iríamos abrir nem para um trem nesta questão. A gente cumpriu todos os preceitos legais: publicamos edital, realizamos assembleia, cumprimos prazo de 48 horas, notificamos o Sinduscon.”

O sindicato realiza uma assembleia às 6h desta quinta (4) para aprovar a proposta fechada quarta (3) e às 8h os trabalhadores já estarão nos canteiros realizando seus trabalhos. Com o acordo de ontem, o salário de um profissional vai para R$ 904 e o de servente R$ 680. “Fechamos um reajuste acima da inflação que nenhuma categoria no Estado conseguiu”, festejou a presidente do Marreta.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM