Jornal do Commercio
Falência

Grupo dos Emirados Árabes arremata bens da Usina Catende

Massa falida da usina foi arrematada em leição por R$ 40 milhões

Publicado em 31/10/2012, às 14h39

Da editoria de Economia

A massa falida da Usina Catende foi arrematada na terça-feira (30) por R$ 40 milhões no 4º leilão promovido pela Justiça estadual. O comprador foi a trading Ghanei Legal Consultancy, de Dubai, que chegou a constituir uma empresa chamada Brazsugar Usina de Álcool Ltda para concorrer ao leilão, já que a unidade pernambucana só pode ser comprada por uma pessoa jurídica. Trading é uma empresa que comercializa commodities, como o açúcar. O evento foi realizado pelo leiloeiro João Dias ontem à tarde no auditório do Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, no Bairro Joana Bezerra. A Catende está num processo de falência há 17 anos.

No início, o leilão tinha o lance mínimo de R$ 65 milhões. Como não houve ofertas, esse valor ficou em R$ 39,3 milhões. Em seguida, houve a proposta de R$ 40 milhões, lance vitorioso. “O dinheiro vai ser trazido de Dubai e o pagamento deve ser realizado em 30 dias”, afirmou o juiz da 18ª vara cível do Recife, Sílvio Romero Beltrão. Agora, o magistrado vai analisar a documentação, dando um despacho sobre o assunto hoje.

O juiz também vai pedir o parecer do Ministério Público do Estado (MPE) sobre a venda da Catende. Caso a documentação esteja toda correta, a trading passa a ser proprietária da usina depois que efetuar o pagamento.“Se a compra for concretizada, os R$ 40 milhões serão divididos pelos trabalhadores”, explicou Sílvio Romero, se referindo aos ex-funcionários da empresa que são credores do processo de falência.

A Catende tem uma dívida com os trabalhadores estimada em R$ 115 milhões. O pagamento deverá ser proporcional ao que cada um tem a receber. Também serão divididos com os trabalhadores cerca de R$ 36 milhões pagos em Títulos da Dívida Agrária (TDAs), quando foram indenizadas quase a totalidade das terras da da usina.
A massa falida que foi a leilão inclui os bens da planta industrial, a propriedade rural Engenho Catende que tem uma extensão de 96,2 hectares, o grupo de quatro geradores, os veículos, tratores e máquinas.

No terceiro leilão, os trabalhadores fizeram um pedido de adjudicação (compra) que não foi aceito pela Justiça. “A adjudicação feita pelos trabalhadores não foi aceita porque o Banco do Brasil (BB)foi contrário e era necessária a anuência do BB, que é o maior credor. Os trabalhadores não apresentaram o contrato social informando a participação deles na sociedade que assumiria a empresa”, explicou Sílvio Romero. A apresentação do contrato social foi uma das exigências da Justiça para ocorrer a adjudicação. O BB é o maior credor da Catende com uma dívida estimada em R$ 1,1 bilhão.

Representando a Ghanei Legal Consultancy em Pernambuco, o executivo carioca Antonio Carlos Moraes de Azevedo informou que a trading tem interesse em produzir, localmente, um tipo de açúcar refinado, o IC 45. “A intenção é colocar a usina para moer na próxima safra em agosto de 2013”, revelou.
Localizada na Mata Sul, a Catende foi administrada por um grupo que representava os trabalhadores chegando a ter uma gestão socialista. Há pelo menos três anos, a administração passou por problemas, inclusive com a suspeita de irregularidades graves identificadas pela Justiça.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM