Jornal do Commercio
economia economia
  • Tamanho do texto:
  • A-
  • A+

Marreta

Trabalhadores da construção civil e pesada entram em greve

Sindicato busca reajuste linear de 23% nos salários. Cerca de duas mil obras ficarão paradas a partir de segunda-feira

Publicado em 01/11/2012, às 08h58

Do JC Online

Marreta espera mobilizar 70 mil operários / Foto: Marcos Pastich / JC Imagem

Marreta espera mobilizar 70 mil operários

Foto: Marcos Pastich / JC Imagem

O Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil e Pesada (Marreta) informou que a categoria entrará em greve geral por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (05). Mais de 70 mil operários irão cruzar os braços e duas mil obras ficarão paradas. De acordo com o sindicato, houve várias rodadas de negociação sem sucesso com o sindicato patronal, que apresentou um reajuste de 5%. A Marreta busca o reajuste linear de 23%, além de condições de trabalho igualitárias em todo o Estado de Pernambuco.

Atualmente, o piso salarial do profissional da construção civil é de R$ 904,29 e do servente é de R$ 680,06.

A categoria alega que que o aumento oferecido pelas construtoras não está acompanhando a valorização dos preços dos imóveis no Estado. Além do reajuste salarial, a Marreta também cobra o percentual de 70% para 100% do pagamento de horas extras e dos trabalhos realizados aos sábados; além do Vale Compras.

imprima
envie para um amigo
reportar erro

Comentários

Por daniel josé,25/10/2013

este aumento de 5% que os patrões estão oferecendo é uma abisurdo para nossa categoria vamos lutar por um aumento real não esta palhaçada!

Por Alex,08/11/2012

Boa tarde Caros amigos devemos sim lutar pelos nossos direitos não estamos pedindo nada e nem tão pouco o que não e de direito do trabalhador tem pessoas como esse Max Guimaraes que e do tipo que pelo um prato de comida se vende aos patrões e ate mesmo sua família pois que não tem coragem de brigar pelos seus direitos e porque já sabe que se perde esse emprego não conseguira outro pois se trata de um profissional isso se posso chama-lo assim e sim um meia chave. Lutem pelo o que e de vocês e não deixe que pessoas fracas como ele tire isso a força do trabalhador pois trabalhador unido não tem que possa. Fiquem com deus.

Por Alexandre josé g.da silva,07/11/2012

Meus amigos,temos por direito lutar mesmo que nos custe a vida;não podemos deixar que nos humilhe nos canteiros de obras.Queremos tudo que é de nosso direito:salário justo,café da manhã,vale transporte,cesta básica,almoço,janta,e todos nossos direitos recisorio etc....

Por beatriz,06/11/2012

Max guimarães voce deveria viver com esse salário e pegar numa enchada com a cara no sol e na hora do almoço comer um feijão duro com gosto de morfo é que os funcionário come da feira que ganham da carajás.

Por Ronaldo Andrade,05/11/2012

Infelizmente algumas pessoas esquecem que toda e qualquer profissão é digna de respeito e salário justo, pois convido o Max Guimarães á refazer o teorema de pitágoras já que ele tem este ponto de vista de um idiota completo.

Comentar


nome e-mail
comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

Fotos do dia

Ariano e Zélia Suassuna na divisa de Pernambuco com a Paraíba.
Juscelino Moura/JC Imagem

> JC Imagem

Ariano e Zélia Suassuna na divisa de Pernambuco com a Paraíba.Ariano Suassuna corta o cabelo numa barbearia do interior de Pernambuco. Ariano Suassuna no aeroporto de Petrolina. Cristiane e Juscelino Moura ao lado de Ariano e Zélia Suassuna. Bastidores de uma aula-espetáculo.

Ranking do dia

Especiais JC

A história de mim A história de mim
Especial do JC mostra a história de todos nós.
Especial Ariano Suassuna Especial Ariano Suassuna
Veja caderno especial publicado no JC no dia seguinte à morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna
Facebook Twitter RSS Youtube
Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM