Jornal do Commercio
VENDAS

Dono da Priples dá entrevista ao Jornal do Commercio sobre seu novo negócio

Portal Offertania já está recrutando divulgadores para venderem mercadorias de empresas parceiras e ganharem comissões por eles mesmos e por seus indicados

Publicado em 14/11/2013, às 00h00

Henrique Lima, dono da Priples, afirma que Offertania é legal e idônea / Michele Souza/JC Imagem

Henrique Lima, dono da Priples, afirma que Offertania é legal e idônea

Michele Souza/JC Imagem

Do JC Online

Determinado a mostrar a idoneidade de sua nova empresa, a Offertania, o sócio da Priples, Henrique Lima, concedeu ontem entrevista ao, via email. Ele assegura que, embora a Priples continue sendo investigada por prática de pirâmide financeira – um crime contra a economia popular –, o novo negócio é legal, feito através de marketing multinível e baseado em venda direta de produtos.

A divulgação da Offertania foi feita esta semana, através do site da empresa, onde há um vídeo explicativo e uma apostila de treinamento, além de link de cadastro para interessados. Segundo Lima, mais de 10 empresas já fecharam parceria com a Offertania, somando um mix de 100 produtos e serviços - como hotéis, motéis, restaurantes etc. O portal oficial será inaugurado no dia 1º de dezembro. 

A essência do negócio é a venda dessas mercadorias, através dos divulgadores cadastrados, que, após fazerem, eles mesmos, compras iniciais, serão remunerados através de comissões. Os percentuais desse comissionamento variam de acordo com diversos critérios, como o volume de vendas de cada um e de seus respectivos divulgadores indicados.

Preocupado com uma possível repercussão negativa que a relação da Offertania ao caso da Priples possa trazer, Lima destaca que “tudo (...) foi informado à Justiça, naturalmente ao Ministério Público”. O empresário, que é sócio nas duas empresas, garante que a Offertania “não oferece nenhuma remuneração pela indicação de divulgadores”. “O que se tem é exclusivamente o comissionamento sobre vendas, recrutar pessoas não gera nenhuma remuneração”.

A pergunta do JC sobre o sistema e a ênfase de Lima em sua defesa se dão porque o ganho sobre novas adesões e promessa de lucro alto são vistos pelos órgãos de defesa do consumidor como indícios de pirâmide financeira. Na apostila de treinamento da Offertania, a explicação é que, embora a indicação, em si, não gere renda, as vendas de quem foi indicado fazem com que a pessoa que o trouxe receba parte da comissão: “Se você é bom vendedor (...) fature diversas premiações; se você não tem talento para vendas, traga vendedores para sua rede e receba 5% através do binário”, diz o texto. “O sistema de remuneração é de venda direta, prática muito antiga”, garante Lima. Quanto ao sistema binário, nome para a participação no comissionamento das vendas de indicados, ele comenta que a Offertania é inspirada “em empresas que funcionam nos EUA, com autorização da Federal Trade Comission”.

A Priples está com suas contas bloqueadas judicialmente. Lima, que chegou a ser preso em agosto passado, não informou o volume de dinheiro de divulgadores que está parado. Mas garantiu que não vai retirar lucros da Offertania até que a situação seja resolvida – nas suas redes sociais, ele já prometeu que, caso a Justiça não libere o dinheiro da Priples até 1º de dezembro, os lucros da Offertania seriam destinados a esses pagamentos suspensos.


Veja a entrevista na íntegra:

 

Jornal do Commercio - Quando o senhor abriu a Priples, considerou que poderia ser acusado de pirâmide financeira?

Henrique Lima - Não, pois estudei a fundo o marketing multinível fora do Brasil onde é regulamentado e, aqui, procurei seguir o código de ética da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas no Brasil), bem assim o código de defesa do consumidor e as leis vigentes no Brasil. Quero salientar que a Priples pagou em torno de 15 milhões de reais em impostos. Neste ponto, aliás, gostaria de frisar que o modelo de negocio proposto pela Priples está totalmente de acordo com as diretrizes constantes do projeto de lei 6667/2013, que visa a Regulamentação do Marketing Multinível no Brasil, em tramitação no Congresso Nacional.

 

JC - O senhor garantiu aos divulgadores da Priples que, caso não haja liberação do dinheiro deles por parte da Justiça, os lucros da Offertania seriam voltados para estes pagamentos. Qual é o valor a que os divulgadores da Priples têm direito? Em quanto tempo o senhor acredita que a Offertania terá esse dinheiro?

Lima - Gostaria de enfatizar, antes de mais nada, que sempre procurei desenvolver minha atividade empresarial na mais estrita lisura e legalidade. Assim foi concebida a Priples, empresa que espero poder demonstrar ser lícita e explorar o Marketing Multinível, não sendo, portanto, pirâmide financeira ou o que o valha. Quanto aos divulgadores da Priples, há um valor bloqueado e bens indisponibilizados para o fim de garantir eventual prejuízo que venha a ser suportado pelos mesmos em face da interpretação desenvolvida, até o momento, acerca dos objetivos da Priples. No entanto, creio que esses não devam ser penalizados pela impossibilidade, por força de decisão judicial, da Priples entregar aos mesmos o que se obrigou por contrato, espaço publicitário, informação e entretenimento. Sendo assim, e uma vez autorizado pela Justiça, não farei retirada dos meus lucros junto à Offertania enquanto este assunto não for totalmente esclarecido e possamos provar a viabilidade, legalidade e sustentabilidade da forma de negócio proposto pela Priples.


JC - O sistema da Offertania envolve remuneração através da atração de novos divulgadores? O senhor teme que o Ministério Público veja nesse modelo uma suposta pirâmide financeira, por associar a nova empresa a toda a situação da Priples?

Lima - A Offertania não oferece nenhuma remuneração pela indicação de divulgadores. O que se tem é exclusivamente o comissionamento sobre vendas, recrutar pessoas não gera nenhuma remuneração. Uma vez vendendo os produtos disponíveis, o que gerará dividendos para a Offertania, haverá o comissionamento em face da venda do produto, sejam ingressos para eventos, hospedagem em hotéis, hospedagem em motéis, móveis e utensílios domésticos, consumos em restaurantes, pacotes de viagens e etc. Tudo que lhe digo foi informado à Justiça, naturalmente ao Ministério Público com oficio no Juizo. Gostaria de enfatizar, a tal proposito, que iremos desenvolver palestras e treinamento visando capacitar os divulgadores Offertania, de modo a que entendam exatamente como a empresa funciona. Uma vez treinado, o divulgador fará um teste para que se possa avaliar seu nivel de conhecimento acerca da Offertania, sendo certo que ao mesmo é dado 67 dias para peça a devolução do valor relativo ao material entregue, backoffice e treinamento .


JC - O que o senhor quis dizer quando postou, na fan page da Priples, "não pudemos MIGRAR NOSSA BASE DE DADOS para o Offertania ou gerar qualquer outro benefício, pois, nosso plano B foi inviabilizado por ter sido divulgado previamente"? Houve algum tipo de mudança de planos?

Lima - Jornal do Commercio - Quando o senhor abriu a Priples, considerou que poderia ser acusado de pirâmide financeira?

Henrique Lima - Não, pois estudei a fundo o Marketing multinível fora do Brasil onde é regulamentado e, aqui, procurei seguir o código de ética da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas no Brasil), bem assim o código de defesa do consumidor e as leis vigentes no Brasil. Quero salientar que a Priples pagou em torno de 15 milhões de reais em impostos. Neste ponto, aliás, gostaria de frisar que o modelo de negocio proposto pela Priples está totalmente de acordo com as diretrizes constantes do projeto de lei 6667/2013, que visa a Regulamentação do Marketing Multinível no Brasil, em tramitação no Congresso Nacional.


JC - O senhor garantiu aos divulgadores da Priples que, caso não haja liberação do dinheiro deles por parte da Justiça, os lucros da Offertania seriam voltados para estes pagamentos. Qual é o valor a que os divulgadores da Priples têm direito? Em quanto tempo o senhor acredita que a Offertania terá esse dinheiro?

Lima - Gostaria de enfatizar, antes de mais nada, que sempre procurei desenvolver minha atividade empresarial na mais estrita lisura e legalidade. Assim foi concebida a Priples, empresa que espero poder demonstrar ser lícita e explorar o Marketing Multinível, não sendo, portanto, pirâmide financeira ou o que o valha. Quanto aos divulgadores da Priples, há um valor bloqueado e bens indisponibilizados para o fim de garantir eventual prejuízo que venha a ser suportado pelos mesmos em face da interpretação desenvolvida, até o momento, acerca dos objetivos da Priples. No entanto, creio que esses não devam ser penalizados pela impossibilidade, por força de decisão judicial, da Priples entregar aos mesmos o que se obrigou por contrato, espaço publicitário, informação e entretenimento. Sendo assim, e uma vez autorizado pela Justiça, não farei retirada dos meus lucros junto à Offertania enquanto este assunto não for totalmente esclarecido e possamos provar a viabilidade, legalidade e sustentabilidade da forma de negócio proposto pela Priples.


JC - O sistema da Offertania envolve remuneração através da atração de novos divulgadores? O senhor teme que o Ministério Público veja nesse modelo uma suposta pirâmide financeira, por associar a nova empresa a toda a situação da Priples?

Lima - A Offertania não oferece nenhuma remuneração pela indicação de divulgadores. O que se tem é exclusivamente o comissionamento sobre vendas, recrutar pessoas não gera nenhuma remuneração. uma vez vendendo os produtos disponíveis, o que gerará dividendos para a Offertania, havera o comissoonamento em face da venda do produto, seja Ingressos para eventos; Hospedagem em Hotéis; Hospedagem em Motéis, Móveis e Utensílios domésticos, consumos em restaurantes, pacotes de viagens e etc. Tudo que lhe digo foi informado à Justiça, naturalmente ao Ministério Público com ofício em juízo. Gostaria de enfatizar, a tal propósito, que iremos desenvolver palestras e treinamento visando capacitar os divulgadores Offertania, de modo que entendam exatamente como a empresa funciona. Uma vez treinado, o divulgador fará um teste para que se possa avaliar seu nivel de conhecimento acerca da Offertania, sendo certo que ao mesmo é dado 67 dias para peça a devolução do valor relativo ao material entregue, backoffice e treinamento .

 

JC - O que o senhor quis dizer quando postou, na fan page da Priples, "não pudemos MIGRAR NOSSA BASE DE DADOS para o Offertania ou gerar qualquer outro benefício, pois, nosso plano B foi inviabilizado por ter sido divulgado previamente"? Houve algum tipo de mudança de planos?

Lima - Eu gostaria de poder lançar um plano B para que nossos divulgadores pudessem continuar trabalhando, mas nossos advogados entenderam que fazer isto poderia ser mal interpretado pela Justiça e o Ministério Público, então deixei o plano B pausado e lançamos esta nova empresa sem nenhum vínculo com a Priples, uma empresa totalmente independente, segmento diferente e uma nova rede de divulgadores.

 

JC - Por que o senhor decidiu abrir uma nova empresa?

Lima - Offertania é um projeto muito antigo, esta ideia de compra coletiva partilhando os lucros com os clientes e divulgadores surgiu até mesmo antes da Priples.

 

JC - O sistema de remuneração e vendas da Offertania é inspirado em outra experiência ou é uma inovação da empresa?

Lima - O sistema de remuneração é de venda direta, prática muito antiga, desenvolvido pela Avon, Natura, Jequiti  etc. Quanto ao sistema binário, nos inspiramos em empresas que funcionam nos Estados Unidos com autorização da FTC - Federal Trade Comission, espécie de CDC no Brasil.

 

JC - Quantos fornecedores são parceiros da Offertania? Quais são os produtos?

Lima - Já fechamos mais de 10 parceiros, já fechamos mais de 100 produtos ainda para nossa inauguração.


JC - Quantos divulgadores já fizeram cadastro e qual a meta da Offertania até o fim do ano?

Lima - Nossa meta não é baseada no número de divulgadores, nossa meta é nos tornarmos uma empresa bem aceita para vendas na internet.


JC - O portal será inaugurado no dia 1º de dezembro?

Lima - Sim.


JC - Onde a empresa é sediada? O senhor poderia fornecer dados como nomes dos sócios, número de funcionários, capital inicial e investidores?

Lima - Ela é sediada no bairro do Cabanga, divulgaremos todos os detalhes em nossa inauguração.

 

JC - O senhor poderia esclarecer o sistema de ganhos? Por que o divulgador precisa consumir R$ 2 mil em produtos, além de vender R$ 4 mil também?

Lima - O divulgador não precisa consumir, basta que ele venda e receberá comissões, consumir R$ 2 mil e vender mais R$ 4 mil o habilita a receber bônus extras, se você é bom vendedor tem ganhos extras, se não é bom vendedor não tem direito a este ganho extra. 




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM