Jornal do Commercio
INOVAÇÃO

José Carlos Cavalcanti propõe uma forma nova de analisar o crescimento das empresas

Na opinião dele, a governança, a forma como a Tecnologia da Informação (TI) estão estruturadas refletem no crescimento das empresas

Publicado em 08/02/2015, às 09h00

José Carlos Cavalcanti publicou um livro em inglês numa editora americana / Hélia Scheppa/ JC Imagem

José Carlos Cavalcanti publicou um livro em inglês numa editora americana

Hélia Scheppa/ JC Imagem

Do JC Online

Um novo modelo de analisar as corporações é a principal proposta do livro Efeitos da Tecnologia da Informação (TI) na Arquitetura, Governança e Crescimento das Empresas, lançado (por enquanto somente em inglês) e de autoria do professor do Centro de Informática (CIn) e do Departamento de Economia da Universidade Federal de Pernambuco José Carlos Cavalcanti, também consultor na área de TI. “O livro traz para a literatura coisas que estavam dispersas, mostrando como se organizam as empresas do século XXI que são planetárias e a sua evolução”, conta.

Segundo ele, esse método de analisar as empresas é interdisciplinar e junta “as visões” de conhecimento em pelo menos três áreas diferentes: economia, administração (incluindo gestão) e TI. O modelo proposto pelo professor leva em consideração a arquitetura das empresas, a governança e a forma como está estruturada a TIC. Nesse conceito, arquitetura inclui duas dimensões: a corporativa (planejamento, compras, produção etc) e a estrutura de TI. Já a governança é formada por um conjunto de ferramentas necessárias à tomada de decisões. “Por exemplo, a governança inclui a competência técnica dos gestores. O problema da Petrobras (do desvio de milhões da estatal) reflete a falta de uma governança corporativa sólida. Quando ela é implantada, as decisões são tomadas em consonância”, diz.

A publicação tem 14 capítulos que falam sobre a governança corporativa, como a estruturação na área de TI reflete no crescimento empresarial e a contribuição que a gestão da inovação traz ao crescimento das organizações. “Nos países desenvolvidos, as grandes empresas estão estimulando o empreendedorismo dentro delas, adotando as ideias inovadoras dos funcionários”, diz.

Ainda no livro, José Carlos argumenta que uma das formas de ser competitivo é desenvolver ecossistemas que produzam plataformas globais em arquiteturas de negócios extremamente sofisticadas. “Por exemplo, a Apple fez um acordo com a Samsung para a segunda desenvolver a memória dos seus produtos. Elas fazem uma plataforma para dominar o mundo e depois disso cada um desenvolve o seu produto”, conta.

O livro pode ser comprado no site da Amazon, da Livraria Cultura e da Editora americana IGI Global (www.igi-global.com), que lançou a publicação nos Estados Unidos. No site da editora, custa US$ 156 (R$ 427) a versão impressa e US$ 148 a digital. Não há previsão do lançamento em português.

O embrião do livro foi um artigo sobre gestão da inovação com ênfase em TICs apresentado pelo professor em 2008 em São Paulo. Depois, ele traduziu o artigo (em inglês) para participar de uma conferência em Portugal. “Daí surgiu o convite da Editora IGI Global para a publicação de um capítulo em um livro publicado nos Estados Unidos e posteriormente o pedido para transformar o capítulo num livro”, conclui.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM