Jornal do Commercio
LOGISTICA III

Terminais de Suape devem encontrar investidores mais facilmente

Essas licitações estavam sendo elaboradas pelo governo do Estado desde 2012

Publicado em 11/06/2015, às 08h00

Suape vai ter mais cinco terminais que serão explorados via concessão / JC Imagem

Suape vai ter mais cinco terminais que serão explorados via concessão

JC Imagem

Da Editoria de Economia

Entre os empreendimentos no Estado que irão a concessão pelo Programa de Investimentos em Logística (PIL), os cinco terminais a serem instalados no Porto de Suape são os que provavelmente não terão dificuldades de encontrar investidores interessados. Estão previstos terminais de veículos, de trigo, o de minérios – que serão dois – e o de contêineres.

A intenção do governo do Estado era licitar alguns desses empreendimentos desde 2012, mas isso não foi possível porque a nova Lei dos Portos transferiu para a União a competência de fazer essas licitações.
Ontem, um executivo de uma grande companhia que atua no setor afirmou que a sua empresa vai concorrer aos empreendimentos do PIL nos portos de Manaus e Suape. O setor portuário já trabalha com a lógica de investir, construir e operar mediante uma concessão. A maioria dos projetos foi elaborada pelo governo do Estado desde 2012 e deve faltar poucos detalhes para subsidiar futuras licitações.

Para Suape e o Estado, os terminais são importantes porque serão criados mais empregos e mais recursos vão circular na economia local, além de aumentar a receita da estatal Suape. “Esses empreendimentos consolidam Pernambuco como o grande destino logístico do Nordeste”, resume o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Thiago Norões.

Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM