Jornal do Commercio
INOVAÇÃO

Empresa lança livro que ensina como implementar projetos de tecnologia na escola

A iniciativa foi da empresa pernambucana Escribo ao perceber que é baixo o uso da tecnologia em sala de aula

Publicado em 02/08/2015, às 12h42

Publicação sugere práticas pedagógicas com gestão de projetos, diz Amorim / Foto: Guga Matos/JC Imagem

Publicação sugere práticas pedagógicas com gestão de projetos, diz Amorim

Foto: Guga Matos/JC Imagem

Da Editoria de Economia

Governos estaduais, municipal e federal já lançaram várias iniciativas para aumentar o uso de novas tecnologias na sala de aula, mas o seu uso continua sendo pouco aplicado no dia a dia da escola, quando o mundo já é completamente digital. Pensando em preencher essa lacuna, a empresa pernambucana Escribo lançou, em meio digital, o livro Os Três Segredos para Transformar Sua Escola com Tecnologia, que constrói um passo a passo que pode ser empregado por professores e diretores para desenvolver qualquer projeto que use a tecnologia em sala de aula. Lançado no mês passado, o e-book é o primeiro da lista da loja virtual da Apple na categoria de livros para professor.

“Não é uma publicação acadêmica. Nem de teorias. É de prática pedagógica com gestão de projetos, porque percebemos que a utilização de tecnologia é uma atividade rara na escola", conta o sócio-diretor da Escribo, Américo Amorim,um dos autores do livro que tem a co-autoria de outro sócio da empresa, o professor do Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco Giordano Cabral. A empresa  faz, em parceria com editoras tradicionais, a plataforma digital que acompanha os livros  didáticos usados por cerca de 800 mil alunos em todo o País. Essa plataforma digital é pouco usada por professores e alunos, segundo Américo.

O "estalo" para fazer o livro veio depois que o pessoal da Escribo tomou conhecimento da  Pesquisa  Internacional sobre Ensino e Aprendizagem (Teaching and Learning International Survey - TALIS) a qual revelou que quase 69,7% dos diretores de escolas brasileiras apontaram que faltam tecnologias adequadas para auxiliarem o aprendizado na escola. O levantamento se baseou em entrevistas com mais de 3 mil diretores e professores no Brasil, sendo realizada pela OCDE em mais de 60 países.

"Depois desse resultado, entendemos que os professores e diretores de escolas precisam de ajuda e achamos mais estratégico lançar o livro para as escolas começarem a usar a tecnologia que elas já têm acesso", afirma Américo, se referindo às iniciativas adotadas pelos governos estaduais, federal e municipal, como por exemplo a compra de tablets, as plataformas digitais que acompanham o livro didático, entre outras.

O livro está à venda por US$ 5 e é comercializado na Amazon, além da loja virtual da Apple. A Escribo fez uma parceria com o Jornal do Commercio e os nossos leitores poderão fazer um download do livro, grátis, no seguinte link  (Escribo.com/jc) até o dia 04 de agosto.


Os três segredos que fazem os projetos de tecnologia serem bem sucedidos na escola são: ser divertido (para os alunos) , ser realizado por etapas e gerar algum resultado que os estudantes possam mostrar aos pais, comunidade, entre outros.

A educação passou a ser um negócio para a Escribo desde 2010, quando a empresa passou a vender livros impressos (dos alunos e dos professores) para auxiliar os softwares desenvolvidos com a finalidade de habilitar os mestres de artes a ensinar música. Antes disso, a empresa, que se chamava D'accord fez games e softwares que ensinavam as pessoas a tocarem música.

Hoje, a empresa fornece a plataforma do livro educacional digital (LED) utilizada pela Somos Educação (ex-Abril Educação) em todos os sistemas de ensino, incluindo colégios reconhecidos como o Anglo, em São Paulo, e o Motivo, do Recife, entre outros. Os produtos da empresa também foram adotados empresas Saraiva, FTD, IBEP e Cultura Inglesa.

A Escribo emprega 23 pessoas, registrou um faturamento de R$ 1,5 milhão em 2014 e este ano espera atingir R$ 2 milhões (em faturamento). Uma parte desse crescimento está relacionado ao desenvolvimento de uma plataforma digital a ser usada na alfabetização de crianças que deve chegar às escolas no segundo semestre de 2015. Atualmente, cerca de 70% da receita da empresa vem do livro didático e plataforma educacional digital. Os 30% restantes são obtidos com a venda dos softwares de ensino da música.




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM