Jornal do Commercio
Emprego

Pernambuco tem maior redução de postos de trabalho do Nordeste

Término das obras da Rnest, Operação Lava Jato e desaquecimento da construção foram principais fatores

Publicado em 16/12/2015, às 08h41

?O País precisa primeiro resolver o problema político para equacionar a crise econômica

?O País precisa primeiro resolver o problema político para equacionar a crise econômica", diz Jatobá

Foto: Ricardo B. Labastier/ JC Imagem

Do JC Online

Entre os Estados do Nordeste, Pernambuco foi o que apresentou maior número de vagas de trabalho fechadas nos dez primeiros meses deste ano. Foram 70.999 postos de trabalho a menos, segundo os dados do Cadastro Geral do Empregados e Desempregados (Caged). “O Nordeste responde por 21,3% da queima (saldo negativo acumulado) de postos de trabalho no País. Pernambuco sozinho participou com 9% desses postos com relação ao Brasil e com 40,7% dos empregos que deixaram de existir na região”, afirma o economista sócio da Ceplan Consultoria, Jorge Jatobá. No mesmo período, foram fechados 18.942 postos de trabalho no Ceará e 50.247 na Bahia.

Segundo Jatobá, o fechamento desses postos de trabalho no Estado ocorreram devido à desmobilização de Suape – com o término das obras da Refinaria Abreu e Lima (Rnest) e o postergamento da implantação da segunda linha de produção do empreendimento –, a “Operação Lava Jato que pegou mais forte aqui” e a queda de 30% no estoque de emprego da construção civil, quando se compara outubro último com o mesmo mês de 2014, de acordo com o Caged. “Nesse último percentual também entra a retração do setor imobiliário”, acrescenta. A Lava Jato revelou um esquema de corrupção envolvendo empresários, políticos e diretores da Petrobras. Isso atrapalhou as encomendas locais do setor naval, o que provocou mais desemprego. 

O economista concedeu uma palestra na terça-feira (15) no Business Round Up, evento da Câmara Americana de Comércio (Amcham) Recife em parceria com Ceplan Consultoria no Pina. Durante o evento, a Ceplan lançou a XVIII edição da Análise Ceplan, um estudo de conjuntura econômica do Nordeste e do Brasil em 2015 com projeções para 2016.

“O País precisa primeiro resolver o problema político para equacionar a crise econômica, a maior recessão sem paralelo desde os anos 30”, diz. Ele afirma que ocorrerá uma retração de 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do País este ano, uma queda de 2% da economia brasileira em 2016 e uma retomada do crescimento em 2017. Ele afirma que a inflação e os juros devem ser menores em 2016.

O economista argumenta que houve um esgotamento do crescimento baseado no consumo das famílias. “É necessário criar um ambiente favorável aos investimentos”, diz, acrescentando que depois que for resolvido o problema político o País deverá ter um ajuste fiscal “crível e viável, gerando poupança para pagar os juros da dívida”. O ajuste fiscal é quando o governo se adequa para gastar menos e, geralmente, arrecadar mais.

“No segundo trimestre de 2015, nenhum Estado do Nordeste ficou de fora da recessão. Pernambuco decaiu menos do que a média do Brasil”, afirma. No primeiro semestre deste ano, o PIB do País caiu -2,1% a preços de mercado (sem a correção da inflação) e o do Estado, -1,1%, comparando com o mesmo período de 2014. A Ceplan não fez projeção do PIB do Estado para 2016. 




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

O Hobbit - 80 anos O Hobbit - 80 anos
Como a maioria dos hobbits, Bilbo Bolseiro leva uma vida tranquila até o dia em que recebe uma missão do mago Gandalf. Acompanhado por um grupo de anões, ele parte numa jornada até a Montanha Solitária para libertar o Reino de Erebor do dragão Smaug
Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM