Jornal do Commercio
FÍSICA

Academias oferecem vantagens a clientes para continuar crescendo

Em todo o País, são mais de 7 milhões de alunos se exercitando em 31 mil academias. Em 2015, o faturamento na área foi de R$ 2,4 bilhões.

Publicado em 12/06/2016, às 08h45

Concorrência é acirrada entre academias para superar dificuldades da recessão.  / Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Concorrência é acirrada entre academias para superar dificuldades da recessão.
Foto: Ashlley Melo/JC Imagem
Da Editoria de Economia

Seja por estética, seja por saúde, o movimento de clientes nas academias continua intenso. Em todo o País, são mais de 7 milhões de alunos se exercitando em 31 mil academias. Em 2015, o faturamento foi de R$ 2,4 bilhões (R$ 100 milhões a menos em comparação com o ano anterior). Os dados são da Associação Brasileira de Academias (Acad). De olho nesse mercado, empresários entram em uma concorrência acirrada para impulsionar o negócio em meio às dificuldades apresentadas pela recessão. A aposta é em inovações e promoções.

Em Pernambuco, são 975 estabelecimentos desse tipo e o número tende a crescer. O casal Paulo Silveira e Carla Nunes, que administra a rede Active, investiu R$ 1 milhão na abertura de uma unidade na Avenida Conselheiro Aguiar, em Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Essa é a terceira unidade da dupla, que acredita que a preocupação com a saúde é a principal causa da procura contínua pelo serviço. 

“Hoje em dia, todo mundo escuta do médico que deve manter uma vida saudável com a prática de exercícios físicos. Nosso negócio é mais voltado para a família, então percebemos que a preocupação com a saúde não é algo relacionado a apenas uma faixa etária”, afirma Carla Nunes. Apesar de a saúde ser uma prioridade, manter os alunos não é fácil. Por isso, o grupo oferece o programa anjo, em que o aluno é acompanhado de perto por um instrutor durante um mês e recebe outras vantagens, como avaliações físicas grátis no pacote anual (são quatro) e espaço kids, em que os pais deixam as crianças enquanto malham.

Apesar de o impacto da crise não ter sido grande, a estagnação do crescimento preocupou os empresários, que já mudaram as estratégias. O grupo composto pela Hi Academia e a Yes Fit quer manter os alunos que já têm, ao invés de atrair novos. Para isso, oferece vantagens, como promoções e descontos exclusivos para clientes fiéis. “Como todo mundo, o setor também passa por dificuldades. Nós conseguimos mudar isso com a renovação de matrículas e controle de gastos. A ideia é manter o crescimento, mesmo na crise. Para isso, sempre fazemos pesquisas de satisfação e incluímos novos serviços, para que todo mundo se sinta abraçado. Os estabelecimentos maiores oferecem estacionamento e manobrista grátis, além de treinamento funcional, sem aumento na mensalidade. Além disso, o aluno pode treinar em qualquer estabelecimento da Hi ou Yes”, explica o gerente técnico da rede, Enoque Tavares de Menezes Junior. As duas empresas juntas têm mais de 30 mil alunos em Pernambuco e na Paraíba.

Para alguns empreendimentos, a crise é uma oportunidade de atingir novos públicos, com a criação de serviços diferenciados. É o caso da Treno Fitness, que criou o pacote “madrugão”. Quem opta pela modalidade pode treinar de meia-noite às 4h, horário não muito explorado. “Subir o preço das mensalidades não é uma opção. Então, resolvemos melhorar os serviços. Oferecemos agora ballet fit, vamos implantar o cross fit e novidades nas aulas de bike indoor. Vamos colocar um telão interativo com imagens da Europa, que podem ser aceleradas para dar a sensação de que o aluno está pedalando por Portugal, França... O pacote madrugão é uma novidade bem aceita. Acho que somos os primeiros do Norte e Nordeste a oferecer esse horário”, comenta o dono da Treno Fitness, Edgar Guadagnano.

Uma coisa é certa: quem é apaixonado pela malhação não larga de jeito nenhum. Para a professora de Ikebana (arte japonesa de arranjos florais) Ana Maria Pereira Gomes, 63 anos, não é nem uma opção. “Eu malho com meus três filhos e estou na academia há um ano. Dei uma parada por um tempo, mas voltei com tudo. É muito mais prático se exercitar em uma academia, porque o professor orienta e estimula todos os dias. Eu e minha família não pensamos em cortar de jeito nenhum”, comenta. Amigos e vizinhos estimulam a prática de exercícios físicos, veja no blog Casa Saudável.

Outro setor que cresce puxado pela boa fase das academias é o de moda fitness. A marca Prata da Casa afirma que a procura é cada vez maior, embora o mercado em geral não esteja aquecido. A empresária e fundadora, Andréa Carla Albuquerque, investe no e-commerce para manter o bom desempenho. “Trabalhamos com o fitness casual, que pode ser usado no dia a dia também. Por causa das dificuldades econômicas, criamos uma linha mais barata, mas ainda de excelente qualidade, na faixa entre R$ 40 e R$ 200. O e-commerce é algo novo, mas mês a mês apresenta bons resultados”, diz.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM