Jornal do Commercio
Empreendedorismo

Evento debate estratégias para fomentar agricultura familiar

1º Encontro de compras públicas e agricultura familiar acontece em Goiana e vai contar com a presença de gestores públicos, agricultores e gestores de escolas

Publicado em 01/07/2016, às 08h06

O FNDE repassou, apenas para a  Zona da Mata Norte, quase R$ 15 milhões referentes ao complemento da merenda escolar / Foto: Flávio Costa/Divulgação
O FNDE repassou, apenas para a Zona da Mata Norte, quase R$ 15 milhões referentes ao complemento da merenda escolar
Foto: Flávio Costa/Divulgação
JC Online

Promover o desenvolvimento local, evitar o êxodo rural e a migração massiva do campo para a cidade, gerar renda nas famílias e incentivar o empreendedorismo de pequenos portes. Todas são vantagens de adquirir produtor provenientes da agricultura familiar. 

Anualmente, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) repassa verbas para municípios brasileiroscom objetivo de complementar a alimentação dos alunos matriculados na rede pública de ensino. De acordo com o FNDE em último relatório divulgado, o total de recursos para aquisição de gêneros alimentícios diretamente da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar foi de R$ 3,4 bilhões em 2014.


Deste total, de acordo assegura uma lei Federal de 2009, 30% deveria ser utilizado apenas para adquirir produtos provenientes de pequenos produtores. Infelizmente, a lei ainda não é seguida a risca, inclusive em algumas localidades de Pernambuco. 

Pensando em desenvolver estratégias para melhorar esta realidade, acontece hoje (1), na Unidade da Mata Norte do Sebrae, em Goiana, o 1º Encontro de compras públicas e agricultura familiar. O evento vai reunir gestores públicos, administradores escolares e agricultores para discutir o desenvolvimento das aquisições regionais, fazendo com que os recursos circulem e permaneçam em seu território. 

“Incentivar a agricultura familiar é uma forma de garantir que a renda gerada circule no próprio município, além de reduzir custos de transporte e logistica com os produtos e garantir que alimentos frescos e saudáveis, de procedência conhecida, chegue ao prato das crianças nas escolas públicas, e também em outros locais, como hotéis, pousadas e mercadinhos da região”, aponta o gerente da Unidade Mata Norte do Sebrae em Pernambuco, Leonardo Carolino. 

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM