Jornal do Commercio
Varejo

Centro do Recife se esvazia com a crise econômica

Mesmo com promoções, lojistas afirmam vender pouco

Publicado em 11/01/2017, às 07h42

De acordo com pesquisa do IBGE, comércio teve queda de 6,4% no acumulado de janeiro a novembro de 2016 / Foto: JC Imagem
De acordo com pesquisa do IBGE, comércio teve queda de 6,4% no acumulado de janeiro a novembro de 2016
Foto: JC Imagem
Yasmin Freitas

“Olhe, eu nunca vi uma crise como essa. Em dezembro do ano passado, a gente ficava aqui parado, conversando, porque não tinha cliente para atender, em pleno período de compras de Natal”. A declaração da comerciante Alexandra Pessoa, que vende camisetas com serigrafia no bairro de Santo Antônio, área central do Recife, reflete a situação pela qual estão passando muitos outros lojistas do centro. Enquanto alguns desistiram de abrir suas lojas aos domingos, outros seguem fechando as portas graças ao baixo movimento. 

Para se ter ideia, somente na Rua do Rangel, mesma localidade do estabelecimento em que Alexandra trabalha, a reportagem do JC encontrou nove lojas fechadas, além de uma galeria que abriga pelo menos outras sete, todas vazias. Outros pontos tradicionais do comércio recifense, como a Rua Santa Rita, Rua da Palma e Duque de Caxias também estão esvaziadas, mesmo diante das tradicionais promoções de janeiro. 

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo IBGE, ontem, apesar da leve recuperação no mês de novembro – ainda não há dados sobre dezembro –, o varejo acumulou perdas durante todo o ano. De janeiro até novembro, a queda foi de 6,4% na comparação com o mesmo período de 2015. No caso do centro do Recife, o esvaziamento é tão grande que até o consumidor nota. “Eu vim no centro porque encontro preços melhores, mas todo mundo comenta que realmente tem cada vez menos gente circulando aqui”, diz a auxiliar administrativa Rebeca Rayanne. 

Para quem continua de portas abertas, o clima é, em grande parte, de desesperança. “Geralmente, a gente espera vender no Natal 100% do que vende durante o ano, mas agora em dezembro só vendi 50%. E quanto mais loja fechada ao redor, mais difícil é vender, porque ninguém vai ficar passando em uma rua que não tem lojas abertas”, diz o peruano Fredy Vitorino, que há dez anos trabalha no comércio do chamado “vuco-vuco”. 

Por outro lado, a expectativa de juros mais baixos e, por consequência, acesso facilitado ao crédito, além da queda da inflação, pode mudar o cenário de abandono do comércio. “O único fator que continuará preocupando é o desemprego, porque esse continua crescendo. Em 2017, a inflação deve cair cerca de quatro pontos percentuais, e com os juros mais baixos, as pessoas compram em maior volume”, aponta o economista da Fecomércio-PE, Rafael Ramos. 

Em Pernambuco, por outro lado, como a desmobilização de mão-de-obra foi acima da média nacional, o varejo pode demorar um pouco mais a sentir as mudanças. “Falamos muito em confiança do consumidor. Quando a pessoa tem medo de perder o emprego, não faz grandes compras no crédito nem parcela os produtos. Isso gera um desaquecimento de setores como eletrodomésticos, itens de informática e veículos, bens duráveis com valor mais alto”, aponta Ramos. 

Atualmente, o índice de desemprego, medido por uma pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), alcançou 64,8 pontos em dezembro, considerando uma escala de zero até cem. Por isso, além da redução de juros e da inflação, as melhoras só serão possíveis com a retomada da renda. 

Recomendados para você


Comentários

Por viajante,11/01/2017

para muito, PT foi o unico que roubou e que os que metem o pau no PT são defensores da moral e da etica......até a oposição roubou.... é só ler os jornais..... imputar apenas a um tudo que se passa hoje é no minimo burrice

Por Comissário Giló,11/01/2017

Os donos de lojas também não são santinhos ! Comprei uma camisa de algodão branca manga curta tamanho G em uma das lojas de Toritama por R$ 30,00, a mesma camisa, igualzinha, estava sendo vendida numa das lojas da Rua Nova por R$ 70,00. Comprei uma nesta loja só de sacanagem para mostrar aos meus amigos que não vale a pena comprar nada no centro do Recife, Só tem ESPERTOS ! DEMAIS.

Por lenise,11/01/2017

esses imbecis q estão comentando a respeito do pt. parece q comeram coco. gente vcs estão cegos? surdor? ainda acreditam q foi o pt q roubou o pais? brincar de ser inocente é bom mais levar a serio. me poupeem paremd de assistir o jornal nacional e vão assistir a gazêta vê nas redes sociais quem são os verdadeiros saquiadores do pais parem de ficar falando merda por favor. chega bando de trouxinhas acordem,

Por LEAO VALENTE,11/01/2017

VEJO MUITA GENTE FALANDO DE PT. AQUI. ESQUEÇAM O PT. PT JÁ PERDEU O PODER. QUASE UM ANO DE TEMER E PSDB E SÓ VEJO ARROCHO E MEDIDAS CONTRA ASSALARIADO. EM PERNAMBUCO VIOLENCIA CORRE SOLTA. SEM DINHEIRO, CREDITO CARO E SEM O MINIMO DE SEGURANÇA AS LOJAS DO CEBNTRO SOFREM. PAREM DE CULPAR O PT. CULPEM PAULO CAMARA, TEMER E SEUS ALIADOS.. ELES ARROCHARAM SALARIO MINIMO. NÃO AJUDAM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS, MANTEM JUROS ALTOS QUE SO BENEFICIAM GRANDES BANCOS E FINANCEIRAS. A POPULAÇÃO QUE COSTUMAVA COMPRAR PERDEU SEU PODER DE COMPRA E FORA OS QUE PERDERAM EMPREGOS. ENQUANTO ISSO LUCROS DOS BANCOS NAS ALTURAS. AI VCS CULPAM PT, QUE PT FEZ ISSO, FEZ AQUILO.

Por jONAS,11/01/2017

Voces acham mesmo que esta ruim? Deixa aumentar as passagens pra vocês verem a bananinha que vai entrar....



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.
20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius 20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius
Nos últimos 20 anos, o cinema pernambucano ganhou em diversidade e número de filmes produzidos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM