Jornal do Commercio
Infraestrutura

Governadores pedem retomada dos leilões de renováveis a ministro

Paulo Câmara destaca potencial do Nordeste na geraçã de energia alternativa

Publicado em 11/01/2017, às 07h00

Ministro Fernando Coelho Filho vai analisar retomada dos leilões em 2017 / Divulgação/Ministério de Minas e Energia
Ministro Fernando Coelho Filho vai analisar retomada dos leilões em 2017
Divulgação/Ministério de Minas e Energia
Da Editoria de Economia

O ano de 2016 foi o primeiro, desde 2009, sem a realização de leilões de energia eólica. Faltando cinco dias para o leilão de energia de reserva (LER), marcado para o último dia 19 de dezembro, o governo Federal suspendeu o certame. O argumento foi o impacto da crise, que não está permitindo o crescimento da demanda. Ontem os governadores Paulo Câmara (Pernambuco), Camilo Santana (Ceará) e Wellington Dias (Piauí) participaram de reunião em Brasília com o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, para solicitar a retomada dos leilões de  renováveis em 2017.

De acordo com a assessoria de Paulo Câmara, o ministro informou aos governadores que trabalhando na revisão do modelo de leilões de energia renovável. O atual trabalhava com um cenário de crescimento da economia a uma taxa média anual de 4,5%, mas o País está há dois anos em recessão. Segundo o ministro, essa nova proposta deve estar fechada até março de 2017. Ele admitiu a possibilidade de realizar um novo leilão ainda no primeiro semestre deste ano, a depender dessa reavaliação.

RENOVÁVEIS

"O setor de energia renovável é uma cadeia econômica que se consolida no Nordeste, com parques instalados em diversos Estados, inclusive com expressivos investimentos de fabricantes de equipamentos. Além do aspecto ambiental, estamos gerando emprego e renda em regiões carentes do Brasil. O cancelamento dos leilões nos causou preocupação quanto ao futuro", argumentou Paulo Câmara. Além de 29 parques eólicos em operação, o Estado também conta com um polo de fabricação de equipamentos para produção de energia eólica no Complexo de Suape.

A presidente executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Gannoum, diz que o setor aguardava a contratação de 1 GW no leilão de dezembro, com investimento de R$ 8 bilhões e geração de 15 mil empregos na cadeia produtiva. “Num momento em que o próprio governo sinaliza com um pacote de medidas para estimular a retomada de investimentos, é um contrassenso desmobilizar uma indústria jovem, montada com aportes altíssimos nos últimos anos”, afirma.

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM