Jornal do Commercio
Imposto

IPTU sobe para parte dos imóveis do Recife em 2017

Reajuste foi motivado pela reavaliação dos imóveis e queda de liminares

Publicado em 12/01/2017, às 07h00

Liminares de 2,3 mil imóveis caíram e IPTU foi reajustado / Alexandre Gondim/JC Imagem
Liminares de 2,3 mil imóveis caíram e IPTU foi reajustado
Alexandre Gondim/JC Imagem
Da Editoria de Economia

Uma parcela dos proprietários de imóveis no Recife se surpreendeu com o carnê de IPTU deste ano, que começou a chegar na casa dos contribuintes desde o último dia 3. Além da correção anual pelo IPCA (calculada em 7,87%), alguns imóveis tiveram os valores de IPTU atualizados, graças a medidas tomadas pela Prefeitura do Recife (PCR).

Uma dessas medidas foi uma nova tecnologia utilizada pela PCR para atualizar a área dos imóveis, por meio de sobrevoo com mapeamento a laser. O sobrevoo foi realizado em 2013, mas os valores só foram lançados  nos carnês deste ano.

O secretário de Finanças do Recife, Ricardo Dantas, explica que o sobrevoo identificou diferença entre a área informada e a realidade atual de 38 mil imóveis. “Estamos falando de reformas e ampliações que foram realizadas e não informadas à Prefeitura. Esse foi um trabalho nunca realizado pelo município, por isso surpreendeu e causou estranhamento ao contribuinte. Mas de uma média de 70 atendimentos que fazemos por dia para questionar a alteração no valor do IPTU, 88% deles não se transformam em processos porque o contribuinte reconhece que houve mudança na área do imóvel”, afirma.

LIMINARES

Além desses 38 mil imóveis que tiveram os valores do IPTU reajustados por desacordo no tamanho da área, outros  também sofreram uma equiparação com construções de mesmo padrão. Em 2011, a PCR realizou uma reavaliação do padrão construtivo dos imóveis e corrigiu o IPTU. Mas 2,3 mil proprietários conseguiram liminares judiciais congelando a cobrança.

“Graças à Lei 18.204 de 2015, essas liminares caíram e os valores congelados foram equiparados ao dos demais (sem que liminar). Como  a lei só foi sancionada em dezembro de 2015, não foi possível implementar em 2016 e estamos aplicando este ano”, diz Dantas, lembrando que o Recife tem 315 mil imóveis residenciais.

Recomendados para você


Comentários

Por Débora Rangel,26/01/2017

O POVO NÃO TEM IDEIA DA FORÇA QUE TÊM! PODERÍAMOS NOS UNIR E BOICOTAR ESSE ABSURDO AUMENTO DO IPTU. ENQUANTO ACEITARMOS CALADOS CONTINUAREMOS SENDO VÍTIMAS DESSE ABUSO DE PODER. TEMOS QUE SAIR NAS RUAS E LUTAR PELOS NOSSOS DIREITOS!

Por Regina,14/01/2017

Sinto pena de todos nós, por vivermos em um país no qual os governantes são despreparados, as leis são criadas por uma maioria de gente corrupta, a justiça composta por pessoas de " notável saber jurídico" e o povo com ideologia de coisa nenhuma.

Por Carlos,13/01/2017

Todos os anos os aumentos do IPTU é lascadamente abusivo! Nunca é dada a inflação do ano anterior, como deveria ser. Esse ano de 2017, esses abutres deram aumentos absurdos nas taxas de IPTU e Limpeza Pública. Querem mais dinheiro nos cofres , para aplicar como bem entenderem. Seria bom que o povo não pagasse seus carnes, aí sim, eles estariam fritos.

Por Sávio,13/01/2017

Prefeito enganou todo mundo, não iria aumentar os impostos e ainda por cima aumentou o iptu, deveria ter dito o aumento antes da eleição

Por Fábio,13/01/2017

A prefeitura comenta que houve aumento de 7,87% (IPCA) do IPTU e da área construída do imóvel, mas não comenta o valor do aumento da taxa de limpeza pública que praticamente atingiu a todos. A dita taxa que tem novo nome TRSD sofreu, no meu caso, um aumento de mais de 57%, representando um acréscimo de R$ 173,00 de 2016 para 2017. Talvez isso explique porque houve aumento considerável também nos imóveis tipo apartamento, comparem o valor da taxa de limpeza com a de 2016.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.
Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM