Jornal do Commercio
imposto

Taxa embutida no IPTU do Recife muda e dispara

A Secretaria de Finanças da Prefeitura do Recife (PCR) explica que, dependendo do cálculo por imóvel, o aumento variou de R$ 1,19 até R$ 70 por mê

Publicado em 18/01/2017, às 09h10

A nova taxa foi aprovada, no final do ano passado, em regime de urgência pela Câmara do Recife, para começar a ser cobrada em 2017 / Foto: JC Imagem
A nova taxa foi aprovada, no final do ano passado, em regime de urgência pela Câmara do Recife, para começar a ser cobrada em 2017
Foto: JC Imagem
Da Editoria de Economia

Os contribuintes residenciais do IPTU do Recife abriram os carnês deste ano e se depararam com a substituição da antiga Taxa de Limpeza Pública (TLP) por uma nova cobrança: a Taxa de Coleta, Remoção e Destinação de Resíduos Sólidos Domiciliares (TRSD). Causou espanto não só a aparição da taxa de nome difícil, mas também o seu valor. A Secretaria de Finanças da Prefeitura do Recife (PCR) explica que, dependendo do cálculo por imóvel, o aumento variou de R$ 1,19 até R$ 70 por mês. A TRSD é paga durante nove meses, a partir da segunda parcela do IPTU, ou em parcela única junto com o imposto. 

Quem teve um reajuste mensal de R$ 1,19 na cobrança do IPTU do Recife, vai encerrar 2017 pagando R$ 10,71 a mais; enquanto quem teve um acréscimo de R$ 70 na taxa vai desembolsar R$ 630 a mais no ano. Em alguns carnês, o valor da TRSD chega a ser quase igual a do IPTU.

A Secretaria de Finanças não informou qual foi o percentual médio de reajuste do Iptu do Recife para os 315,5 mil contribuintes residenciais, mas explicou que a maioria dos imóveis (68%) teve o valor acrescido entre R$ 1,19 e R$ 8,85 por mês; enquanto apenas uma minoria de 0,08% amargou um reajuste mensal de R$ 70. O cálculo está disponível no Código Tributário do Município e leva em consideração a coleta de lixo, a área construída do imóvel e a utilização do imóvel.

A nova taxa foi aprovada, no final do ano passado, em regime de urgência pela Câmara do Recife, para começar a ser cobrada em 2017. O presidente da Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), Roberto Gusmão, explica que a cobrança vem se adequar ao descompasso entre a arrecadação e as despesas da PCR com a coleta, remoção e destinação do lixo. O custo anual da Emlurb chega a R$ 35 milhões para fazer chegar ao destino correto as 1,8 mil toneladas de resíduos descartadas por dia na capital. “Mesmo com a criação da nova taxa, ainda existe um déficit. Antes era de R$ 120 milhões e agora projetamos que caia para R$ 80 milhões”, calcula.

Entenda a nova taxa

Gusmão lembra que a criação da TRSD veio atender a uma exigência de destinar o lixo para aterros sanitários particulares, desativando o antigo “Lixão da Muribeca” (para onde iam os resíduos). A nova regra foi motivada por uma ação judicial do Ministério Público de Pernambuco, em 2009. “Com isso, a diferença de custo passou a ser muito grande. Para destinar os resíduos ao aterro controlado da Muribeca o custo variava de R$ 12 a R$ 15 por tonelada, mas depois subiu para R$ 30/t e hoje está em R$ 50/t”, compara, dizendo que a população precisa ser mais consciente com o descarte do lixo para não ter que pagar uma conta alta. 

Apesar de a nova regra da destinação do lixo estar vigorando desde 2009, a conjuntura econômica obrigou a Prefeitura do Recife a se apressar e submeter o projeto de lei sobre a nova taxa à Câmara só no ano passado. Segundo o presidente da Emlurb até então a PCR estava incorporando os custos, mas a recessão fez minguar o caixa. “A Corregedoria do município vem fazendo um trabalho dentro da Prefeitura tanto para reduzir despesas quanto para trazer despesas que não estavam sendo cobradas. É natural que na crise tanto o ente público como o ente privado se empenhem para queimar gorduras”, observa Gusmão.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por antonio vilela,15/02/2018

isto e um roubo.as autoridades competentes estao mancomunadas com isto.Estes bandos de vereadores sem vergonha se reuniram sem o povo saber e aumentaram nosso iptu e a taxa de limpeza ilegalmente

Por Paulo Freire,19/01/2018

O aumento é abusivo e ilegal! Minha mãe mora e trabalha no Pina e a taxa de lixo é 88,55% do valor do IPTU! Em ano de eleição, um aumento e cobrança dessa nos leva a crer que seja para financiar campanha eleitorai Cadê o Ministério Público e a OAB/PE?!

Por NORMA CALDAS,04/01/2018

absurda taxa, indecente cobrança por parte da PCR,o contribuinte além de pagar para o IPTU ter que pagar pela limpeza da cidade que está uma VERGONHA! De limpa Recife não tem nada! Pago R$800,00 de TRSD e não vejo nenhuma melhora na limpeza urbana.

Por Jussara Soares,14/02/2017

Só existe uma maneira ninguém pagar o IPTU e nenhuma taxa, ou baixa ou não se paga. Entra com uma ação coletiva no Ministério Público

Por Cenildo Oliveira,09/02/2017

Em que ficou a ação que Silvio Costa entrou contra a prefeitura referente a este aumento?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Julgamento de Lula Julgamento de Lula
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou, no histórico 24 de janeiro de 2018, a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ampliou a pena para 12 anos e 1 mês de reclusão
Copa do Nordeste 2018 Copa do Nordeste 2018
A 15ª edição da Copa do Nordeste tem um sabor especial. 2018 marca a volta das transmissões de futebol da TV Jornal. Ao lado da co-irmã de Caruaru e de nove afiliadas do SBT Nordeste, a emissora vai levar ao público todas as emoções do torneio
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade
Conheça o Cambinda Brasileira, maracatu rural mais antigo em atividade

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM