Jornal do Commercio
IMÓVEIS

Brasileiros investem no mercado imobiliário de Portugal

Brasil já é o terceiro país que mais aposta no setor em terras lusas. Procura atraiu grupo de empresários ao Recife em busca de investidores

Publicado em 02/06/2017, às 07h15

Sheraton Cascais Hotel Residence (foto), em Lisboa, é o produto de destaque da comitiva portuguesa que visita o Recife no próximo dia 6 / Foto: Divulgação
Sheraton Cascais Hotel Residence (foto), em Lisboa, é o produto de destaque da comitiva portuguesa que visita o Recife no próximo dia 6
Foto: Divulgação
Da editoria de Economia

Impulsionados por uma crise econômica que afasta investimentos de longo prazo no País, os brasileiros conquistaram a terceira colocação entre os estrangeiros que mais apostam em imóveis como negócio em Portugal. Ficamos atrás apenas dos ingleses e dos franceses, segundo levantamento da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (Apemip). Sabendo o impacto desses investidores, os portugueses começaram a vir até o Brasil para vender seus produtos e, mais recentemente, o Recife entrou nesse roteiro.

Na próxima terça-feira, por exemplo, uma comitiva portuguesa composta pela imobiliária Direct Portugal e a United Investments Portugal (UIP) irá realizar no Recife a primeira parada do tour de apresentação do Sheraton Cascais Hotel Residence, que será construído em Lisboa. “Nos últimos três anos, o preço médio do metro quadrado no país valorizou 30% e continua aumentando”, explica o gerente de Produtos Internacionais da Direct Portugal, Casimiro Ulisses, sobre as vantagens de investir atualmente em terras lusas.

No caso do resort, o modelo de investimento é o que combina usufruto e aluguel. Ao adquirir uma unidade, o brasileiro poderá utilizar a suíte quando estiver em Portugal e, nos demais períodos, o aluguel do espaço a hospedes será administrado pelo Sheraton. Com isso, o investidor tem garantido pelo menos 5% ao ano de retorno do investimento durante cinco anos. “O detalhe é que o valor recebido pelo aluguel será pago em euros”, destaca. Depois de passar pelo Recife, ele seguirá para Maceió, João Pessoa, Natal, Fortaleza e São Paulo em busca de investidores.



Além da valorização do metro quadrado, outras vantagens têm levado brasileiros a buscar os imóveis portugueses. Graças à política de incentivo do governo português, estrangeiros que investem a partir de 500 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão) no país passam a ter automaticamente direito ao golden visa – um visto especial de residência com duração mínima de cinco anos.

“Só no Consulado Geral de Portugal [em São Paulo] são, em média, atribuídas por mês, 800 novas cidadanias portuguesas a cidadãos brasileiros que assim adquirem a dupla nacionalidade. São investidores brasileiros que deixam de ser contabilizados pelas estatísticas portuguesas como tal, perante a dupla nacionalidade. Na verdade, o investimento brasileiro em Portugal é muito maior do que se pensa”, analisa o presidente da Apemip, Luís Lima.

Outros fatores como o clima – ameno, se comparado a outros países europeus – e a língua são
decisivos na hora de decidir onde investir. E, diferente do que acontecia quando Portugal adotou a política do golden visa, não são apenas os aposentados que estão procurando o país, garante Casimiro Ulisses. “Hoje muitos jovens estão interessados em investir em Portugal diante da estabilidade econômica, a possibilidade de oferecer segurança e saúde para os filhos, já que, com o visto, esses serviços são estendidos para a família”, destaca.

Serviço

Pré-lançamento do Sheraton Cascais Hotel Residence
6 de junho, no Recife
Inscrições: directportugal.vpeventos.com


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM