Jornal do Commercio
JC 360

Servidores públicos podem evitar burocracia na hora de trocar carro

Cooperativa de crédito financia até 80% de veículos novos e pode ter taxas mais atrativas

Publicado em 29/07/2017, às 15h00

Sandra Diógenes escolheu a cooperativa Sicredi Pernambucred para financiar seu carro novo / Ashlley Melo/JC360
Sandra Diógenes escolheu a cooperativa Sicredi Pernambucred para financiar seu carro novo
Ashlley Melo/JC360
JC Online

Quando chega a necessidade de comprar um carro ou a hora de trocar aquele veículo usado, muita gente desanima. Pensa na burocracia, nos processos pelos quais terá que passar até vender o carro antigo, da busca incansável por financiamento, da pesquisa sem fim para encontrar o melhor preço e as melhores taxas. A funcionária pública recifense Sandra Diógenes, por exemplo, ficou em dúvida se essa era a melhor hora de fazer a troca. “Com essa atual crise, eu fiquei naquela: troco? Não troco? A gente não sabe o cenário que vem pela frente, não é?”, afirma.

“Toda vez que eu vou comprar um carro, eu passo dois, três, quatro meses pesquisando. Vejo reclamações, custo-benefício, preços, itens de conforto”, detalha. Depois de bater na porta de várias concessionárias, bancos e financeiras de automóveis, ela escolheu financiar o veículo através de uma cooperativa de crédito. Por ser funcionária pública, a escolhida foi a Sicredi Pernambucred.

“O que me levou a fechar negócio realmente com a cooperativa foi primeiro a questão dos juros e do valor das parcelas, que foi bem aquém do que eu já tinha pesquisado”, relata. Ela destaca também o atendimento diferenciado e a facilidade de fazer a troca. Eles mesmos fazem a vistoria do automóvel. Dois dias depois fui lá, assinei o contrato, sem muita burocracia”, continua.

O financiamento de veículos é voltado para quem quer adquirir um carro, mas não tem o valor total da transação. Na cooperativa, o associado dá um valor de entrada e parcela o restante da compra, com débito automático na conta corrente, com prestações fixas, em até cinco anos. O próprio veículo comprado fica como garantia para a cooperativa.

Só podem ser financiados pela cooperativa Sicredi Pernambucred os carros de passeio e utilitários, novos ou usados. É possível financiar até 80% dos carros zero quilômetro, tomando por base o valor especificado na nota fiscal. Para os seminovos ou usados, até 70% do valor do carro pode ser financiado – desde que tenha até cinco anos de uso.



Presidente executivo da cooperativa Sicredi Pernambucred, Giovanni Prado

“Além de ter a vantagem de ser rápido, na cooperativa você tem uma das melhores taxas do mercado”, explica o presidente executivo da cooperativa Sicredi Pernambucred, Giovanni Prado. Ele diz que o papel da instituição é tentar encontrar a melhor solução para o associado, seja ela qual for. “E se for mais vantagem para ele financiar diretamente pelo agente da concessionária, a gente diz”, garante.

Os valores da taxa são definidos pelo valor da entrada e o prazo de pagamento. Quanto maior o valor da entrada e menor o prazo, menor é a taxa. “Isso está ligado ao risco da operação. Dependendo da sua capacidade de pagamento, a instituição corre menos risco”, continua o presidente. Como a cooperativa de crédito não tem fins lucrativos e os resultados anuais são devolvidos aos associados, a vantagem fica evidente.

O financiamento pela cooperativa é exclusivo para os associados: servidores públicos de todos os níveis de governo - municipal, estadual ou federal -, podendo ser um funcionário estatutário, celetista ou de cargo comissionado. “O financiamento de veículo é específico para associado. Se este tem esposa ou filho, e quer comprar esse carro para a esposa ou filho, o que ele pode fazer é associá-los”, diz. Podem ser dependentes pais, mães, cônjuges, filhos e irmãos.

Sandra diz estar satisfeita. É o carro de que ela precisava para suprir as necessidades de viagem e de passeio. “Analisei meu orçamento, vi que as parcelas que eu tinha simulado pela cooperativa cabiam no meu bolso. Então calhou necessidade, oportunidade e custo-benefício”, conclui a servidora pública.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM