Jornal do Commercio
NEGÓCIOS

Chesf tem um lucro de R$ 370,3 milhões no primeiro semestre de 2017

Esse resultado foi contábil porque a empresa começou a receber indenizações do governo federal

Publicado em 12/08/2017, às 08h01

A Chesf registrou um lucro de R$ 370,3 milhões no primeiro semestre deste ano / Foto: Ricardo B.Labastier/Acervo JC Imagem
A Chesf registrou um lucro de R$ 370,3 milhões no primeiro semestre deste ano
Foto: Ricardo B.Labastier/Acervo JC Imagem
Da Editoria de Economia

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) apresentou um lucro de R$ 370,3 milhões no primeiro semestre deste ano. Esse resultado foi contábil e impacatado pelas indenizações que a estatal começou a receber do governo federal pela prorrogação das concessões das hidrelétricas do São Francisco. Desde então, a estatal ficou com a concessão para operar as hidrelétricas que passaram a ser do governo federal. A única exceção foi Sobradinho.

Nos seis primeiros meses deste ano, a estatal começou o processo de transferência de suas participações acionárias em várias Sociedades de Propósito Específico (SPE) que resultaram na implantação de empreendimentos de geração eólica e de transmissão. Essas participações foram transferidas para a Eletrobras, que é a dona da Chesf e pertence ao governo federal. Nas SPEs, a estatal tinha uma participação acionária de até 49%. Segundo informações da Chesf, essa operação tem a finalidade de pagar as dívidas que a Chesf tem com a sua controladora (a Eletrobras).



APOSENTADORIA

A empresa também lançou um Plano de Aposentadoria Extraordinária (PAE) que contou com a adesão de 439 empregados, que devem ser desligados no segundo semestre de 2017. Isso vai proporcionar uma economia anual de cerca de R$ 139,2 milhões na redução dos gastos operacionais da estatal.

A estatal realizou investimentos de R$ 556,5 milhões este ano. Desse total, R$ 350,9 milhões foram empregados na expansão do seu sistema elétrico, incluindo R$ 231,6 milhões em obras de transmissão e R$ 104,9 milhões em geração de energia, além de R$ 14,4 milhões gastos na infraestrutura da Companhia.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM