Jornal do Commercio
Expectativa de vendas

Varejo estima crescer 73% nas vendas no Natal

Pesquisa realizada pela confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o SPC Brasil mostra que o brasileiro pretende desembolsar R% 51,2 bilhões nas compras do fim de ano

Publicado em 09/11/2017, às 11h50

O gasto médio do consumidor deve atingir aproximadamente R$ 461,91 / Foto: Helia Scheppa/JC Imagem
O gasto médio do consumidor deve atingir aproximadamente R$ 461,91
Foto: Helia Scheppa/JC Imagem
Editoria de Economia

Nem a crise econômica é capaz de acabar com o simbolismo do Natal. Apesar da renda mais curta, o brasileiro deve desembolsar R$ 51,2 bilhões em compras no fim do ano, uma leve melhora em relação aos R$ 50 bilhões gastos no mesmo período de 2016, segundo levantamento do SPC Brasil e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A pesquisa aponta que 73% dos brasileiros pretendem comprar presentes no Natal deste ano. Apenas 8% disseram que não vão presentear, ao passo que 18% ainda não se decidiram. Em média, os consumidores devem comprar entre quatro e cinco itens, principalmente roupas, brinquedos, perfumes e cosméticos, calçados e acessórios. Os principais presenteados serão os filhos (63%), maridos ou esposas (49%), mães (47%), irmãos (27%) e pais (21%).

Mesmo com juros em queda inflação mais baixa, o gasto médio do consumidor deve girar em torno de R$ 461,91, frente aos R$ 465,59 do ano passado. A pesquisa aponta, ainda, 33,5% dos entrevistados pretendem gastar o mesmo que em 2016, enquanto 26,2% têm a intenção de gastar menos. Apenas 19,4% vão aumentar os gastos.

Em 2015,o volume de vendas caiu 16% e, em 2016, houve queda de 1,5%. ”Ficar no zero a zero este ano já é um Natal de recuperação, depois das quedas nos últimos dois anos. Mas é em 2018 que vamos ver variações mais expressivas”, comenta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Um alento é que, segundo a Confederação Nacional do Comércio (CNC), os bens e serviços do Natal estão caminhando para uma deflação pela primeira vez em 17 anos. Nos últimos 12 meses encerrados em outubro, 214 itens apresentam queda de 1,1%.



Na Região Metropolitana do Recife (RMR), a expectativa é de que as vendas cresçam 4%, de acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) do Recife.

Nos shoppings da RMR, a expectativa também é positiva para o Natal. O RioMar espera aumento de 12% tanto em número de público quanto de vendas. Já no Shopping Recife e no Plaza, as vendas devem subir 10%. O Shopping Guararapes tem expectativa de alavancar as vendas em 15%.

Uma estratégia é apostar nas atrações. O Shopping Tacaruna, por exemplo, investiu R$ 2,4 milhões na decoração, campanha publicitária e eventos. A expectativa é de alta de 13% nas vendas. “As pessoas veem o shopping como um equipamento de lazer, não só de compras, e neste fim de ano o Tacaruna oferece muitas atrações. O mercado converge para transformar os shoppings em espaços de convivência, com maior apelo para o lazer do que para as compras”, comenta a superintendente do mall, Sandra Arruda.

TEMPORÁRIOS

Para este fim de ano, serão contratados 7 mil temporários, número semelhante ao do ano passado. “Com certeza, esse Natal será bem melhor do que o do ano passado, quando vendemos menos do que em 2015. Percebemos um tom de animação entre os empresários”, comenta o presidente da CDL, Eduardo Catão. No Brasil, serão 73,8 mil contratados formais para o Natal deste ano. A expectativa é que 30% dos temporários sejam efetivados após o período de festas.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM