Jornal do Commercio
CARTEL DOS POSTOS DE COMBUSTÍVEL

Presidente do Sindicombustíveis nega formação de cartel

Sindicato dos donos de postos de combustível foi alvo da “Operação Funil”, da Polícia Civil, deflagrada nesta terça-feira (15)

Publicado em 15/05/2018, às 16h58

Alfredo Pinheiro Ramos afirmou desconhecer processo ao qual o sindicato responde. / Foto: Edilson Vieira / Jornal do Commercio
Alfredo Pinheiro Ramos afirmou desconhecer processo ao qual o sindicato responde.
Foto: Edilson Vieira / Jornal do Commercio
JC Online

O presidente do Sindicato de Combustíveis de Pernambuco (Sindicombustíveis), Alfredo Pinheiro Ramos, negou as acusações de formação de cartel por parte da entidade. Ele deu uma entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (15) na sede do sindicato, no bairro do Prado, Zona Oeste do Recife. A entidade foi alvo da “Operação Funil”, deflagrada na manhã de hoje pela Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), e que prendeu três funcionários do sindicato.

Ao ser questionado sobre a existência de cartel nos postos de combustível em Pernambuco, Ramos respondeu que “o sindicato não orienta nenhum revendedor em relação a preço de combustível” e que “tem como provar” a ausência da prática. O presidente afirmou que os preços que os revendedores compram combustíveis são públicos, disponíveis no site de Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), e que a quantidade de impostos cobrados nessa compra é que encarece o produto na bomba, para o consumidor final.

“Pernambuco tem um dos menores valores cobrados em combustível no Brasil”, afirmou. Sobre os “preços iguais” nos postos, Ramos replicou que os lucros dos donos de postos são na base de centavos, e que “cartel pressupõe alta lucratividade”. O presidente do sindicato afirmou desconhecer o processo do qual a entidade está sendo acusada e que “a imputação do crime é antecipada à nossa defesa”. Reclamou que o único ramo que precisa divulgar publicamente os seus preços na internet e que “a sociedade tem uma visão muito ruim” da categoria.



Ramos afirmou que os três funcionários do sindicato presos na operação são do “carrinho de qualidade”, um “serviço prestado à sociedade” oferecido pelo sindicato. Segundo seu relato, os três presos iam nos postos testando a qualidade do produto vendido e orientando os postos sobre a legislação e demais serviços para regularizar a venda de combustíveis em Pernambuco.

Operação Funil

De acordo com a PCPE, as investigações sobre a formação de cartel nos postos de combustível começou em julho de 2017. Além dos três mandados de prisão, foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão, sendo 17 deles em postos e os outros 10 em residências, nas cidades de Abreu e Lima, Igarassu, Moreno, Vitória de Santo Antão, Paudalho, Glória do Goitá, Pombos, Gravatá e Bonito. Os presos foram interrogados e encaminhados para o Centro de Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima. Funcionários do Sindicombustíveis, inclusive o presidente, estão sob investigação.


Recomendados para você


Comentários

Por MANDA VER,15/05/2018

Em Bonito além do cartel tem o combustível adulterado. Os automóveis ficam dando problema, farrapando. Tem mais agua do que gasolina e etanol. Se a fiscalização da ANP viessem toda semana em Bonito e região, iriam descobrir as maracutaias dos postos de combustível.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva
Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção Rodoviários: ''máquinas'' sem manutenção
Carga horária excessiva, más condições de trabalho, terminais sem estrutura apropriada e os riscos ocupacionais aos quais estão submetidos. O transporte rodoviário está em quarto lugar entre as profissões com mais com comunicações de acidentes de trabalh
#UmaPorUma #UmaPorUma
Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. Uma por uma, vamos contar todas. Mapear onde as mataram, as motivações do crime, acompanhar a investigação e cobrar a punição dos culpados. Um banco de dados virtual.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM