Jornal do Commercio
Abertura

Festa de abertura da Copa será no mesmo estádio famoso pelo Urso Misha

Show de abertura do Mundial terá apenas 30 minutos de duração e terá Robbie Williams

Publicado em 14/06/2018, às 06h26

No passado, o estádio teve importância de peso na Olimpíada de 1980 / Foto: AFP
No passado, o estádio teve importância de peso na Olimpíada de 1980
Foto: AFP
JC Online

Antes de a bola rolar hoje, às 12h, para a partida inaugural da Copa do Mundo entre Rússia e Arábia Saudita, o estádio Lujniki, em Moscou, servirá de palco para apresentação do cantor britânico Robbie Williams e da soprano russa Aida Garifulina, às 11h30. Uma presença ilustre do evento será a do ex-atacante brasileiro Ronaldo, segundo maior artilheiro da história dos Mundiais, com 15 gols marcados.

As várias crises entre a Rússia e o Ocidente e o pouco apelo esportivo do jogo de abertura - entre a Rússia (70ª no ranking da FIFA) e Arábia Saudita (67º) - pesaram para que se optasse pela simplicidade e modéstia na celebração. "A abertura terá um formato ligeiramente diferente das edições anteriores. Este ano, a cerimônia será organizada em torno de performances musicais e será mais perto do início do jogo, apenas meia hora antes", informou a FIFA em comunicado.

Sobre a participação no show, Williams classificou como uma sensação única. "Eu fiz muitas coisas na minha carreira e estar na abertura da Copa do Mundo diante de 80.000 torcedores no estádio e milhões em todo o mundo é um sonho de infância que se torna realidade". Representante local no evento, Garifulina é descrita como “uma das jovens vozes mais aclamadas da Rússia”.

A FIFA não fez nenhum anúncio sobre a presença de Will Smith, autor, ao lado do porto-riquenho Nicky Jam e da cantora albanesa Era Istrefi, do hino oficial da Copa do Mundo, "Live it up".



De acordo com o prefeito da capital russa, Sergei Sobyanin, uma dúzia de líderes estrangeiros, entre eles muitos líderes de ex-repúblicas soviéticas, estará ao lado do presidente Vladimir Putin e do presidente da FIFA, Gianni Infantino, no estádio de Moscou. Mais significativa será a presença, anunciada pelo Kremlin, do presidente da Assembleia Popular Suprema da Coreia do Norte, Kim Yong Nam, dois dias depois da cúpula histórica em Singapura entre Donald Trump e Kim Jong Un.

Palco

Inaugurado em 1956 e hoje chamado de estádio Lujniki, o espaço sediará sete partidas da Copa do Mundo de 2018, incluindo abertura e final. No passado também teve importância de peso em outro evento esportivo recepcionado pelos russos: a Olimpíada de 1980. Na época, o local ainda se chamava estádio Lenin, nome que perdurou até 1992.
Em 1980, quando o estádio recebeu as cerimônias de abertura e de encerramento dos Jogos, o mundo conheceu o ursinho Misha, um dos mascotes mais populares da história das Olimpíadas -o animal é também símbolo do país.

Na época, uma imagem ficou marcada no imaginário popular: o urso Misha, estampado em um mosaico de coreógrafos que levantavam placas coloridas em perfeita sincronia na arquibancada, chorou - lágrimas caíram do seu olho esquerdo.

Já o estádio, desde que foi inaugurado, passou por várias remodelações. A realizada para a Copa foi a maior e que exigiu mais dinheiro. Iniciada em 2013 e finalizada apenas às vésperas do mundial de futebol, a mais recente reforma consumiu cerca de US$ 470 milhões (R$ 1,5 bilhão).


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM