Jornal do Commercio
argentina

Juíza nega TV a cabo para detentos assistirem Copa do Mundo

Por meio de uma carta, o grupo havia reivindicado um habeas corpus, afirmando ser um ''direito indispensável'' ter TV a cabo para assistir à Copa da Rússia

Publicado em 14/06/2018, às 07h40

As autoridades consideraram que a apelação é
As autoridades consideraram que a apelação é "compreensível" se a solicitação for diferente
Foto: Reprodução
JC Online

Após um grupo de presos, presidio de Chubut, na Argentina, declararem por meio de uma carta que começariam uma greve de fome enquanto não tivessem acesso à televisão para assistir a Copa, a juíza Patricia Ásaro negou nessa quarta-feira (13), o pedido feito pelos detentos, considerando que não é urgente e nem os coloca em risco de vida. Segundo o jornal Olé, o grupo havia reivindicado um habeas corpus, afirmando ser um "direito indispensável" ter TV a cabo para assistir à Copa da Rússia.

Consequentemente, as autoridades consideraram que a apelação é "compreensível" se a solicitação for diferente, como condições precárias de detenção, problemas com a qualidade e distribuição de alimentos ou atendimento médico.

A juíza teria sido contundente, onde comunicou em uma nota a sua resolução: "Não sendo um motivo de habeas corpus, o que é pedido não tem lugar".



Os presos apresentaram um habeas corpus baseado na lei 23.098, que permite que os presos na Argentina reivindiquem direitos e denunciem irregularidades por parte das autoridades.

Relembre a história

O grupo começou uma greve de fome, enquanto não tivessem acesso à televisão por cabo. Os presos alegaram que essa seria a única forma assistir a Copa do Mundo da Rússia. "É um direito indispensável para qualquer pessoa que esteja privada da liberdade", diz um trecho da carta enviada às autoridades, na qual chega a ser sugerida a apresentação de um ‘habeas corpus’ para solucionar mais rapidamente a questão.

 

  

De acordo com o jornal Olé, o sinal da televisão dos presos caiu há alguns dias e gerou protestos. A carta foi enviada para direção do presídio e o único pedido é o retorno da programação do futebol. Caso contrário, eles não aceitarão as refeições entregues pelo sistema prisional.


Recomendados para você


Comentários

Por Nando,14/06/2018

Eita que preso na Argentina estão aprendendo com os presos aqui do Brasil a reivindicar aquilo que não tem direito, pq se querem ter direito a algo é só respeitar o ser humano no dia a dia, pois esses elementos pratica o terror e ainda querem ter mordomia na prisão, eles acha que estão no Brasil.

Por VALDEMIR,14/06/2018

Para mim, só existe bandido no PT. Nos outros partidos todos são santos e dignos como eu sou. Eu sou do bem. Não tenho culpa, não votei no PT, votei no outro.

Por Valdemir,14/06/2018

Só na América latina bandido reivindica mordomia. Acho que o PT faria muito sucesso por lá !



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO JC RECALL DE MARCAS PREMIA AS MAIS LEMBRADAS DO ANO
Pitú, Vitarela (macarrão) e Honda (motos) foram as três marcas mais lembradas pelo público pernambucano, segundo pesquisa realizada pelo Instituto Harrop em parceria com o Sistema Jornal do Commercio de Comunicação (SJCC)
JC no Mundial JC no Mundial
Em meio a um cenário conturbado na política internacional, a Rússia espera ser o grande centro das atenções neste mês de junho, quando irá sediar pela primeira vez em sua história uma Copa do Mundo de futebol. Aqui você confire tudo sobre o Mundial.
Reinventar Reinventar
A velocidade na criação de novidades tecnológicas nos faz pensar que o futuro é todo dia. E nós também precisamos sair do lugar. No mercado de trabalho, o impacto dessas transformações exige a capacidade de se reinventar. Veja o que o futuro lhe reserva

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM