Jornal do Commercio
Apoio

Em estado de abandono, Maracanã pede socorro

Estádio que sediou duas finais de Copa do Mundo vem sofrendo com invasões e vandalismo

Publicado em 12/01/2017, às 07h03

Maracanã se encontra em péssimo estado
 / Fabio Motta/ Estadão
Maracanã se encontra em péssimo estado
Fabio Motta/ Estadão
JC Online

Palco de duas finais de Copa do Mundo. Da estreia de Pelé pela seleção brasileira. Do milésimo gol do Rei do Futebol. Dos dribles de Garrincha e das vozes de ícones da música como Frank Sinatra e Paul McCartney, entre outros eventos marcantes, o Maracanã pede socorro. 

O estádio mais icônico do futebol brasileiro e um dos mais charmosos do mundo vive o retrato atual do abandono e é tratado como um fardo pelas autoridades. O gramado, mesmo visto de longe, assusta bastante. 

Mesmo após a reforma para a Copa do Mundo de 2014, que custou mais de R$ 1,3 bilhão, o palco de grandes espetáculos (não só de futebol) virou alvo de vandalismo, com equipamentos e materiais sendo furtados. Isso porque o Governo do Rio de Janeiro e o consórcio que administra a Arena não querem assumir os custos da manutenção do estádio, que estava sob gestão do Comitê Rio-2016 para as Olimpíadas.

Um dos grandes motivos do abandono é a ausência de jogos sediados no Maracanã. O Flamengo, que mandaria os principais jogos de 2017 no estádio, vive um imbróglio judicial. A direção rubro-negra, inclusive, afirmou que não fará mais partidas no Maracanã caso a empresa BWA passe a administrar o local. 

Os furtos que têm sido registrados no Maracanã, e que incluíram até mesmo o busto do jornalista Mario Filho, que dá nome ao estádio no Rio, eram uma preocupação que vinha desde o primeiro semestre do ano passado. É o que demonstra um documento de 15 de junho de 2016 encaminhado pela concessionária que administra a arena ao governo do Estado do Rio de Janeiro e ao Comitê Rio-2016. Segundo a Maracanã S.A., o acervo era de responsabilidade do Estado.

A CARTA

Logo em sua primeira página, a carta pedia a “designação de servidor e adoção de providências concretas” para a retirada do material. O documento lembra que o Maracanã estava cedido de modo exclusivo ao Comitê Rio-2016 desde 1º de março do ano passado e, de acordo com o Termo de Autorização de Uso (TAU), todas as áreas do estádio eram de responsabilidade do Rio-2016.

Mas, no item IV, alerta que “o acervo histórico e outros bens de titularidade da Suderj (Superintendência de Desportos do Estado do Rio) permanecem guardados, durante o contrato, em algumas salas da área cedida, sob a responsabilidade da Suderj”.

A carta relata sucessivas solicitações da concessionária à superintendência para retirada do material, o que não aconteceu. A Casa Civil do Rio alegou que irá adotar as medidas legais e contratuais cabíveis relativas aos furtos. Ainda de acordo com a Casa Civil, o Complexo Maracanã, conforme contrato vigente, está sob responsabilidade da Concessionária Maracanã S.A.

Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Barbosinha,12/01/2017

Eis aí o legado da FAMIGERADA copa no Brasil. Aqueles que a defenderam e lutaram para sua realização deveriam arcar com todos esses INCOMENSURÁVEIS PREJUIZOS. Mas aonde "quebra o pau"? Nas nossas costas, POBRE POVO BRASILEIRO, outrora BRAVA GENTE...não ficaram satisfeitos com PAN e COPA, e ainda inventaram OLIMPÍADA, ENRIQUECENDO MUITA GENTE...



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Agreste seco Agreste seco
A seca colocou de joelhos uma região inteira. Fez o Agreste sertanejar. Os cinco anos consecutivos sem chuva em Pernambuco ganharam aqui a dimensão de uma tragédia. Silenciosa e diária.
#PeloCaminhar #PeloCaminhar
Mais do que mobilidade, caminhar também é apropriar-se da cidade. Mas o caminhar está difícil. A mobilidade a pé necessita de uma infraestrutura própria, decente, que eleve o pedestre ao posto maior. Por isso o JC lança a discussão #PeloCaminhar.
20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius 20 anos do novo cinema pernambucano: de Baile Perfumado a Aquarius
Nos últimos 20 anos, o cinema pernambucano ganhou em diversidade e número de filmes produzidos

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM