Jornal do Commercio
Crime

Boa Esporte perde patrocinador master após contratar Bruno Fernandes

Essa é a quarta empresa que rompe com o clube de Varginha

Publicado em 13/03/2017, às 17h25

Bruno foi condenado a 22 anos de prisão pelo assassinato de Elisa Samudio, mas ficou sete anos preso / AFP
Bruno foi condenado a 22 anos de prisão pelo assassinato de Elisa Samudio, mas ficou sete anos preso
AFP
LUANA PONSONI

O Boa Esporte perdeu, na tarde desta segunda-feira (13), o seu maior patrocinador: o Grupo Góis & Silva. A empresa usou a rede social Facebook para emitir uma nota oficial em que diz não apoiar mais o clube mineiro. A iniciativa foi tomada depois que o Boa anunciou a contratação do ex-presidiário e goleiro Bruno Fernandes, condenado em 2013 a 22 anos de prisão pelo assassinato de Eliza Samudio. Até que o julgamento aconteça em segunda instância, porém, o ex-goleiro do Flamengo ganhou do STF o direito de aguardar em liberdade. 

A empresa é a quarta a retirar o apoio ao clube mineiro, devido à repercussão negativa que o Boa recebeu com a decisão de contratar o ex-presidiário. Antes do Grupo Góis & Silva, foi a vez da Cardiocenter Varginha, da Magsul Ressonância Magnétic e da Nutrends Nutrition cancelarem os patrocínios. As quatro empresas publicaram um comunicado oficial em suas páginas no Facebook. 

 

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM