Jornal do Commercio
Alemanha

Bundesliga terá arbitragem feminina na próxima temporada

Bibiana Steinhaus apitará jogos da elite do futebol alemão

Publicado em 19/05/2017, às 20h06

Bibiana Steinhaus apitará jogos da Bundesliga / AFP
Bibiana Steinhaus apitará jogos da Bundesliga
AFP
AFP

Um avanço e tanto para as mulheres no futebol: a alemã Bibiana Steinhaus apitará jogos da Bundesliga na próxima temporada e se tornará a primeira arbitra a atuar em uma das cinco grandes ligas europeias.

Steinhaus vinha apitando na segunda divisão da Alemanha. Na França, Itália, e Inglaterra as mulheres já aparecem em jogos da primeira divisão, mas como assistentes, nunca como donas do apito. Já a Espanha parece ter mais dificuldade de assimilar a ideia de uma mulher fazendo parte do futebol masculino.

Com isso, a Alemanha, onde o futebol feminino recebe grande investimento, se tornou o primeiro a deixar de lado esse preconceito, integrando Steinhaus, uma funcionária da polícia de Hannover de 38 anos, ao quadro de 24 árbitros que poderão apitar jogos da Bundesliga na próxima temporada.

"Sempre foi meu sonho. É um reconhecimento pelo duro trabalho que me levou até aqui e uma grande motivação para continuar meu trabalho", comemorou a árbitra.

"É claro que tenho consciência de que por ser a primeira mulher a apitar na Bundesliga serei observada de perto pela mídia e pelo público. Mas estou acostumada com essa pressão e tenho certeza que vou rapidamente encontrar meu lugar", garantiu Steinhaus, que apitou 80 jogos da segunda divisão desde 2007 e atuou como quarta árbitra em diversos jogos da primeira divisão.

Esta mulher discreta, que evita ao máximo se expor na mídia, já foi alvo dos grandes jornais do país quando teve revelado o namoro com o famoso árbitro inglês Howard Webb e, em seguida, devido a dois incidentes que na época agitaram a imprensa alemã.

-- Incidente com Guardiola --


O primeiro em 2014, quando Pep Guardiola a pegou pelos ombros durante uma partida entre Borussia Monchengladbach eBayern de Munique, irritado pelo pouco tempo de acréscimo dado pelo árbitro do jogo. No papel de quarta árbitra, Steinhaus calmamente afastou os braços do técnico espanhol, evitando assim que os nervos se aflorassem.



A imprensa condenou a atitude "inapropriada" do técnico e elogiou a calma da árbitra.

Na temporada seguinte, em jogo da segunda divisão, ela voltou ao noticiário após expulsar Kerem Demirbay, que jogava na época no Fortuna Düsseldorf. O alemão de origem turca acabou sendo punido com cinco jogos de suspensão por ter afirmado ao sair de campo que as mulheres não deveriam estar no futebol.

O próprio clube do jogador -hoje no Hoffenheim, da primeira divisão- condenou sua atitude e o obrigou a apitar uma partida de futebol feminino.

Árbitra da Federação Alemã desde 1999 e árbitra Fifa desde 2005, Bibiana Steinhaus foi responsável na carreira pelos maiores eventos do futebol feminino. Ela estava em campo nas finais da Copa do Mundo da Alemanha-2011 e dos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

Steinhaus também já está escalada para a final da Liga dos Campeões feminina, em 1 de junho em Cardiff, entre Lyon e Paris Saint-Germain.

"Meu estilo de arbitragem se baseia na comunicação intensiva", explicou. "Quando tomamos decisões firmes suficientemente rápido, isso dá uma boa linha de conduta a todos as partes envolvidas".

A "empatia com os interlocutores" e "a conversa de igual para igual" também são fundamentais, segundo a árbitra.

Ela garante, porém, que sua maneira de apitar um jogo não é fundamentalmente diferente do que fazem os homens: "Todos nós buscamos apitar de maneira homogênea em relação à interpretação das regras, todos temos que preencher as mesmas condições básicas".

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Marcas do medo Marcas do medo
Mais do que um saldo de 4,1 mil mortos até setembro de 2017, a violência em PE deixou uma população inteira refém do medo. Sentimento sem cara ou forma, que faz um número cada vez maior de vítimas no Estado. Medo de sair de casa, de andar nas ruas
Great Place to Work 2017 Great Place to Work 2017
Conheça agora as 30 melhores empresas para trabalhar em Pernambuco, resultado de uma pesquisa feita pela Grat Place to Work, instituição com credibilidade de 25 anos, em 57 países, envolvendo anualmente sete mil empresas e 12 milhões de colaboradores
#ACulpaNãoÉDelas #ACulpaNãoÉDelas
Histórias de mulheres que passaram anos sendo agredidas por seus parceiros e, com medo, permaneceram em silêncio. Essa série de reportagem discute novos olhares no enfrentamento às agressões contra a mulher, até porque a culpa não é delas

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM