Jornal do Commercio
pernambucano

Torcedor do Salgueiro protesta contra veto e prende buzina em gaiola

Salgueiro e Sport disputam final do Pernambucano no próximo dia 18. Decisão, no entanto, pode ser adiada. Tarcísio garantiu que não vai sem a buzina

Publicado em 07/06/2017, às 15h19

Torcedor prendeu buzina em gaiola / Reprodução/Twitter
Torcedor prendeu buzina em gaiola
Reprodução/Twitter
JC Online

Depois de ter sua buzina vetada da partida final do Campeonato Pernambucano entre Salgueiro e Sport, Tarcísio da Buzina protestou contra a determinação do desembargador José Fernandes de Lemos que, na segunda-feira, proibiu a entrada de instrumentos sonoros no estádio Cornélio de Barros. O torcedor-símbolo respondeu à medida com protesto: colocou a buzina em uma gaiola. 

 

VETADO

A Justiça barrou a entrada de qualquer instrumento sonoro, mas a medida era previamente direcionada para Tarcísio e sua buzina. Os diretores do Sport já conheciam o torcedor e o som que equipamento produz durante os jogos do Salgueiro no Cornélio de Barros. O barulho, de acordo com os dirigente, pode atrapalhar o trabalho do Leão. Dessa forma, eles acionaram a Justiça alegando que o equipamento não corresponde ao Estatuto do Torcedor. 



Tarcísio respondeu ao veto com revolta. "O Sport está apelando".  Ele garantiu que sem sua buzina não vai ao jogo final do Pernambucano.

 


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Recife em Transformação Recife em Transformação
A cidade e o desafio de traçar o seu futuro
Zika em mil dias Zika em mil dias
Já se passaram quase 2 anos e meio desde que o JC anunciou a explosão de casos de recém-nascidos com microcefalia. Muitas dessas crianças já completaram os seus primeiros mil dias de vida. Famílias e especialistas revelam o que aconteceu nesse período
Logística e inovação Logística e inovação
Você sabe o que é logística? Ela parece invisível, mas está presente no nosso dia a dia, encurtando distâncias. Quando compramos uma maçã no supermercado, muitas vezes não nos damos conta do caminho que percorreu até chegar a nossas mãos

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM