Jornal do Commercio
RETORNO?

A única coisa que explicaria Grafite voltar é seu amor pelo Santa Cruz

O tricolor sonha em poder em contar novamente com o camisa 23

Publicado em 03/08/2017, às 21h06

Grafite pode voltar ao clube coral. / Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Grafite pode voltar ao clube coral.
Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Thiago Wagner
Do Blog do Torcedor

Não restam dúvidas de que o fato do Santa Cruz contratar Grafite seria algo muito positivo para o clube no âmbito esportivo e no aspecto de confiança da torcida para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Apesar dos 38 anos, o ex-camisa 23 pode agregar ao elenco e ajudar pelo menos com uma campanha digna na Segundona.

Mas uma eventual volta de Grafite não envolve apenas questões esportivas. Ela também tem dinheiro envolvido e é justamente aí que mora o problema. A não ser que o atleta venha pelo amor ao Santa Cruz, que é enorme e sincero, e abra mão de muita coisa, inclusive de parte da dívida que o Tricolor tem com ele, a contratação pode trazer mais problemas do que benefícios para a Cobra Coral, que, importante lembrar, deve dois meses de salários para o seu elenco.



Na situação que o Santa Cruz vive em aspectos financeiros não é momento para cogitar Grafite, nem qualquer outro tipo de contratação. Pega mal com os jogadores que aí estão, independe da qualidade em questão. Não questiono que o atacante pode agregar e melhorar o ataque coral, mas isso compensa o fato do clube aumentar sua folha salarial?

Logo, salvo uma exceção financeira que envolveria a abertura de Grafite para com as pendências que o Santa Cruz tem com ele ou um bônus financeiro muito bom para o Tricolor, a volta do atacante não deveria nem ser tratada neste momento. Como dito, soa mal para os jogadores que aí estão lutando e esperando receber salários. Primeiro se resolve o problema de casa para depois se pensar em Grafite.


Palavras-chave

Recomendados para você


Comentários

Por Luiz Henrique,04/08/2017

Não observo desta forma nefasta dos demais comentários e até respeito, porém com a chegada de Grafitte o Santinha poderá fazer uma agressiva campanha de marcketing e fomentar valores agregados ou não para solver as pendencias financeiras. Bom até assim os torcedores no final tem o dever de ajudar ao clube

Por POSSIDÔNIO PÔNCIO,04/08/2017

SÓ VEJO ASSIM: O SANTA É SÉRIE "B" SÓ VEJO ASSIM: O SANTA SERÁ SEMPRE SÉRIE "B" SÓ VEJO ASSIM: O SANTA TEM SEMPRE QUE TENTAR FICAR NA SÉRIE "B" SÓ VEJO ASSIM: O SANTA NÃO TEM TIME PARA SAIR DA SÉRIE "B" SÓ VEJO ASSIM: PODEM CHORAR E CHORAR E CHORAR E CHORAR.

Por JARBAS LEITE,04/08/2017

Sou Tricolor e sofro junto com a Torcida o vexame que passamos todos os anos com a falta de pagamento dos salários, é uma vergonha. Agora querer se expor mais indo para uma Série A sem dinheiro, não vale a pena ser "saco de pancada" dos times ricos não tem graça. Nossa faixa é a B e vamos torcer para continuar nela. Quem sabe um dia teremos competência para subir e se manter na A. 06:24 hs.

Por BRAZ FILHO,04/08/2017

PRETENDER QUE GRAFITE VOLTE AO SANTA CRUZ, POR AMOR, SEM RECEBER NADA E RENUNCIAR A POSSÍVEL CRÉDITO QUE TENHA EM FACE DE SALÁRIOS ATRASADOS DO ANO PASSADO, ISSO NÃO É FAZER FUTEBOL, É BRINCADEIRA DE MAU GOSTO. O CORRETO É FAZER UMA AUDITORIA SÉRIA E VERIFICAR OS ABSURDOS PRATICADOS NA GESTÃO DO CLUBE E CHAMAR OS IRRESPONSÁVEIS À RAZÃO, À RESPONSABILIDADE. CADA QUE COMETA SUAS INCOMPETÊNCIAS E O CLUBE É QUE PAGA.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Educação, emprego e futuro Educação, emprego e futuro
Investir em educação é um pressuposto para o crescimento econômico, a geração de empregos e o aumento da renda. Aos poucos, empresas dos mais variados setores entram numa engrenagem antes formada apenas pelo poder público.
Pernambuco Modernista Pernambuco Modernista
Conheça a intimidade de ateliês, no silêncio de casas, na ansiedade de pincéis sujos para mostrar como, quase nonagenária, a terceira grande geração da arte moderna de Pernambuco vai atravessando as primeiras décadas do século 21
A crise que adoece A crise que adoece
Além dos índices econômicos ruins, a recessão iniciada em 2014 no Brasil cria uma população mais doente, vítima do estresse causado pela falta de perspectivas. A pressão gera problemas psicológicos e físicos, que exigem atenção.

    LOCALIZAÇÃO

  • Rua da Fundição, 257 Santo Amaro, Recife - PE
    CEP: 50040-100
  • assinejc.com.br
  • (81) 3413-6100

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2017 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM